GP1

Política

Fábio Abreu não descarta retorno das coligações proporcionais

"Cenário atual indica para que os partidos menores, em definitivamente, saiam do cenário político. Teremos poucos partidos no nosso país”, avaliou Abreu.

O deputado federal Fábio Abreu (PL) não descarta uma possível modificação na regra eleitoral para o pleito de 2022 provocada pela pressão de partidos menores que cobram o retorno das coligações proporcionais no próximo ano. Isso porque devido ao fim das coligações as siglas ficaram impedidas de se unir.

Esta regra prejudicaria, sobretudo, as legendas menores que não mais poderão contar com partidos maiores na formação das chapas de deputados federais e estaduais. Com isso, a tendência é que os pequenos se dissolvam.

Foto: Lucas Dias/GP1Fábio Abreu
Fábio Abreu

“Dessas últimas sessões que tive em Brasília, a gente percebe que há um certo clima indicando para essa possiblidade. Cenário atual indica para que os partidos menores, em definitivo, saiam do cenário político. Teremos poucos partidos no nosso país”, avaliou Abreu.

“Há uma tendência para que esses partidos unidos possam propor essa mudança. Há essa possibilidade sim da retomada das coligações, mas tem que ser feito até o prazo de um ano de antecedência das eleições”, disse o parlamentar.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.