Ciência e Tecnologia

Brasil lidera ranking de ativistas ambientais assassinados em 2016

País registrou 25% de um total de 200 mortes registradas em todo o mundo no ano passado.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

Segundo relatório da Global Witness, divulgado nesta quinta-feira (13), o Brasil é o país mais perigoso para os defensores do meio ambiente, tendo registrado 25% do total de assassinatos de ativistas ocorridos no mundo em 2016.

Segundo o relatório, pelo menos 200 ativistas ambientais foram mortos em todo o mundo no ano passando, sendo 60% deles somente na América Latina. O balanço, o dobro do registrado dois anos antes, é o mais elevado desde que a organização começou a contabilizar os assassinatos de ambientalistas, em 2002.

  • Foto: Christophe Simon/AFPAtivistas ambientais fazem mobilização pela causaAtivistas ambientais fazem mobilização pela causa

De acordo com informações do G1, a organização lamentou que esse seja um “reflexo de uma onda de violência, em que "as empresas mineradoras, madeireiras, hidroelétricas e agrícolas passam por cima das pessoas e do meio ambiente em sua busca por lucro".

Brasil, Colômbia e Filipinas são responsáveis por mais da metade das mortes, seguidos por Índia, Honduras, Nicarágua, República Democrática do Congo e Bangladesh. "A luta implacável pela riqueza natural da Amazônia torna o Brasil, mais uma vez, o país mais letal do mundo", com 49 assassinatos em um ano, alerta o relatório.

Mais conteúdo sobre:

MAIS LIDAS