Mundo

Catalunha tem mais de 700 feridos após votação de referendo

O governo regional da Catalunha afirmou que foram registrados 761 atendimentos médicos, sendo que três pessoas em estado mais grave e nove pessoas tiveram que ser internadas.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

Encerrou na tarde deste domingo (1) a votação do referendo pela independência da região da Catalunha. A ação da polícia contra as pessoas que foram votar deixou pelo menos 772 feridos. A grande confusão aconteceu porque o referendo foi convocado por separatistas e é considerada ilegal pelo governo espanhol que tentou impedir a votação.

O governo regional da Catalunha afirmou que foram registrados 772 atendimentos médicos, sendo que três pessoas em estado mais grave e nove pessoas tiveram que ser internadas, informou o G1.

  • Foto: Manu Fernandez/APPolícia nacional espanhola entra em confronto com apoiadores do referendoPolícia nacional espanhola entra em confronto com apoiadores do referendo

Para impedir a votação, o governo espanhol encaminhou mais de 10 mil policiais para a região, onde foi autorizada a invasão de escolas para apreensão das urnas e das cédulas de votação. Ao todo, 92 escolas foram fechadas e foram realizadas três prisões. Tudo isso causou um grande atrito, que gerou vários atos de violência. A polícia precisou usar balas de borracha.

O referendo é considerado ilegal, porque foi proibida pela justiça espanhola. O presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, criticou o “uso injustificado, irracional e irresponsável da violência por parte do Estado espanhol" e disse que a atual gestão "continua piorando e chegou hoje a níveis de vergonha que vão acompanhá-lo para sempre".

  • Foto: Emilio Morenatti/APPolícia tenta evitar entrada de pessoas em local de votaçãoPolícia tenta evitar entrada de pessoas em local de votação

Independência

O governo espanhol está tentando impedir a independência de Catalunha, que vem tendo um grande movimento separatista. Catalunha passou a fazer parte da Espanha depois que o Rei Ramiro II de Leão casou sua filha Petronila com o conde de Barcelona, Ramón Berenguer.

A região possui cultura e língua própria, sendo a região mais rica do país com um PIB de 19%. A região entrega mais dinheiro ao governo central do que recebe, o que aumenta ainda mais o desejo de independência. A principal cidade da região é Barcelona.

  • Foto: David Gonzalez/ReutersEm Tarragona, polícia espanhola entra em confronto com manifestantesEm Tarragona, polícia espanhola entra em confronto com manifestantes

O referendo seria para decidir sobre essa independência, onde eles poderiam votar se eram a favor ou contra. Cerca de 5,3 milhões de cidadãos foram convocados a votar. No referendo de 2014, que também foi declarado inconstitucional, quase 1,9 milhão (80%) de catalães votaram pela independência.

No referendo de hoje, o Tribunal Constitucional proibiu o plebiscito por considerar que ele contraria a Constituição. Segundo o texto constitucional, plebiscitos só podem ser convocados pelo rei e precisam ser propostos pelo chefe de governo com autorização do Legislativo. A Constituição também não prevê o direito de separação.

Mais conteúdo sobre: