Piauí

Detento que foi encontrado com criança é ameaçado na Major César

Atualmente a criança está em um abrigo de Teresina e para a polícia ficou comprovado que não houve estupro.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

Na noite dessa quinta-feira (05) o delegado Jarbas Lima participou de uma entrevista coletiva para tratar sobre a prisão de Gilmar Francisco Gomes, que deixou o filho de 13 anos dormir na penitenciária Major César. Também foi decretada a prisão preventiva do detento José de Ribamar Pereira Lima, que estava com o menor na cela. Como ele estava cumprindo pena em regime semiaberto, agora ele vai para o fechado. Foi pedida ainda a prisão da mãe do adolescente de 13 anos, Sebastiana da Silva Rodrigues, mas a juíza Andrea Parente Lobão Veras negou a solicitação.

Atualmente a criança está em um abrigo de Teresina e para a polícia ficou comprovado que não houve estupro, mas que isso poderia acontecer devido à situação que o menino estava, já que o detento José Ribamar responde por estupro, assim como o pai da criança. O menino fez um exame no IML que comprovou que não houve a conjunção carnal, mas isso não retira a culpa dos envolvidos.

“Sinceramente, o abuso sexual não ocorreu. Nós ouvimos o menor quando ele estava acompanhado por uma assistente social, um psicólogo e um membro do Conselho Tutelar. Inclusive o promotor esteve com a gente, o Paulo Rubens, colhendo informações do menor. Tudo leva a crer que ele poderia ser molestado, mas acho que a ação diligente dos agentes penitenciários, com a vistoria que foi realizada, talvez tenha impedido, mas o que ocorre é que não houve tentativa. Nosso direito pátrio não pune os atos preparatórios, mas se o menor está em uma cela com uma pessoa que já cometeu crime sexual, a vulnerabilidade dele é grande. Caso seja necessário vamos ouvir o menor de novo, o pai e a mãe”, disse o delegado de Altos, Jarbas Lima.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Jarbas LimaJarbas Lima

Detento sofreu ameaças

“O José Ribamar está separado em uma cela na Major César, ele estava com risco de vida em decorrência da revolta dos detentos pela confusão e transtorno que ele causou na Major César. Ele se encontra recolhido e possivelmente será transferido para a delegacia de Altos”, disse o delegado.

Mandados de prisão

“Hoje requisitamos para a juíza Andrea os mandados de prisão preventiva para o pai, a mãe e o detento. Ela concedeu o mandado para o José Ribamar e para o pai do menor, o Gilmar. O da mãe não foi concedido. Eles são acusados de abandono de incapaz e por submeter criança ou adolescente em qualquer ato vexatório. Como eles já possuíam processos por estupro de vulnerável, achamos por bem decretar a preventiva. O da mãe não foi decretada porque ela possui bons antecedentes e não havia concordado com que o menor ficasse, apesar de ser omissa ao deixar ele”, destacou.

O pai não resistiu à prisão. “O delegado de Altos, Jarbas Lima, explicou que o pai não resistiu ao pedido de prisão. A Polícia Civil chegou a gravar um vídeo mostrando o momento em que ele é preso. “Efetuamos a prisão dele dentro da delegacia. Ele veio até mim e eu estava esperando o mandato de prisão. Aí o pai chega de repente na delegacia perguntando se ele podia pegar uma autorização de um aluguel lá em Alto Longá de uma casa, aí eu pedi para ele esperar. Aí o mandado de prisão chegou e eu cumpri. Ele não se opôs. Ele se mostrou arrependido, mas estava mais preocupado com o aluguel da casa”, disse o delegado.

Trabalho infantil

Um dos pontos investigados será se a criança tinha o costume de ir para a penitenciária Major César para trabalhar. “Isso tudo está sendo investigado, o que posso adiantar que não é a primeira vez que ele dormiu lá, já fez isso quando o pai dele estava recolhido na penitenciária, mas essa questão do trabalho escravo vai ser investigado”, explicou.