Piauí

Justiça decreta prisão preventiva do terrorista Cesare Battisti

Após ser preso o acusado disse que apenas iria para a Bolívia comprar roupas e participar de uma pescaria.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O juiz Odilon de Oliveira, da 3.ª Vara Federal de Campo Grande, decretou a prisão preventiva do ativista italiano Cesare Battisti, com o objetivo de evitar que ele consiga fugir do país, informou o Estadão.

O ativista foi preso na quarta-feira (4) quando tentava sair do país, na fronteira entre o Brasil e a Bolívia. Ele foi preso pela Polícia Federal e estava em posse de US$ 6 mil dólares e 1.300 euros, além de vários documentos.

  • Foto: AFP PHOTO / Christophe SimonCesare BattistiCesare Battisti

Na decisão o juiz manifestou preocupação com a possibilidade dele fugir, já que Battisti está no Brasil porque no ano de 2010, o então presidente Lula assinou decreto no qual negou ao governo italiano o pedido de extradição do ativista. Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália sob acusação de quatro assassinatos. Desde então ele está no país.

O juiz destacou na sua decisão que Battisti estaria querendo fugir por medo de ser extraditado. “O contexto geral da ocorrência faz concluir, ao menos em caráter provisório, que Cesare Battisti, procurava se evadir do território nacional, temendo ser efetivamente extraditado”, destacou o juiz Odilon de Oliveira.

Após ser preso o acusado disse que apenas iria para a Bolívia comprar roupas e participar de uma pescaria. Os advogados de defesa dele informaram que vão ingressar com um Habeas Corpus.

Mais conteúdo sobre: