Piauí

Notificação de Casos de chikungunya continuam a crescer no Piauí

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Sesapi, foram registrados 2.779 casos em 2017 e 1.984 no mesmo período de 2016.

LUCAS MARREIROS

- atualizado

Os casos de febre chikungunya continuam a aumentar no Piauí. É o que aponta o último boletim epidemiológico divulgado, nesta quarta-feira (06), pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). De acordo com o documento, foram registrados 2.779 casos em 2017 e 1.984 no mesmo período de 2016.

  • Foto: DivulgaçãoNotificação de Casos de chikungunya continuam a crescer no PiauíNotificação de Casos de chikungunya continuam a crescer no Piauí

O crescimento de notificações foi de 140,9%, quando comparados os dois anos. Neste ano, os casos foram notificados em 90 municípios, sendo que os municípios de Teresina, São Raimundo Nonato, Parnaíba, Luís Correia e Floriano notificaram mais casos prováveis.

A Sesapi já chegou a classificar a situação da chikungunya como uma "epidemia crescente e sequenciada" e adotou, como política de combate, o envio de um ofício aos gestores municipais, orientando medidas intensivas de combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor da doença.

Os dado apresentados pela Sala Estadual de Coordenação e Controle das Ações de Enfrentamento à Microcefalia também mostram que, de 01 de janeiro a 31 de agosto deste ano, 4.354 casos de dengue, o que representa uma redução de 12%, em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram notificados 4.948 casos. Quanto aos casos de zika, o boletim também aponta uma contração. Em 2016 foram contabilizados 215 casos, enquanto em 2017, o número chegou a 157.

Ajuda no combate

A Sesapi reforça que a ajuda da população é importante para evitar a proliferação do Aedes. Para isso, recomenda medidas simples para manter os ambientes limpos, como evitar acúmulo de água em pneus, garrafas, latas, caixas d’água descobertas, além de pratos sob vasos de plantas.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB