Piauí - Teresina

PM recebeu R$ 50 mil por fuga de presos na Casa de Custódia

A organização criminosa tinha como um dos integrantes um cabo da Polícia Militar do Piauí, Cláudio Rodrigues do Nascimento, que foi preso durante a Operação Conexão.

BRUNNO SUÊNIO E THAIS SOUZA

- atualizado

Coletiva de imprensa da Operação Conexão

A Polícia Civil do Piauí, através do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), revelou detalhes de como funcionava a organização criminosa que tinha como um dos integrantes um cabo da Polícia Militar do Piauí, Cláudio Rodrigues do Nascimento, preso durante a Operação Conexão, acusado de ser o responsável pela fuga de quatro presos em 02 de março deste ano e, ainda, fazer a distribuição de aparelhos celulares e outros eletrônicos para dentro da Casa de Custódia de Teresina.

De acordo com o delegado de Charles de Holanda, as investigações apontam que a fuga realizada no mês de março rendeu cerca de R$ 50 mil reais ao PM e Josimar, responsável por articular o grupo criminoso. “A fuga de Carlos Sousa Silva, Anderson Teodoro de Sousa, Vilmar Pedro Olivério, Leônidas da Silva Gomes, custou em torno de R$ 50 mil e teve um veículo nessa negociação que, inclusive, teve um sequestro de dois veículos recebidos pelo Josimar Carvalho. Ele articulava a fuga, juntamente com o policial militar, mas quem fazia essa articulação era o Josimar Carvalho ”, revelou.

As investigações

O delegado Charles de Holanda informou como deu início à investigação, que culminou com a desarticulação do esquema que atuava dentro e fora da Casa de Custódia de Teresina.

“A investigação teve início em razão de uma fuga no dia 02 de março de 2017, de quatro assaltantes de banco e como a fuga foi um pouco suspeita, pois eles fugiram pelas passarelas onde os policiais fazem a custódia, nós começamos a investigação. No decorrer [da investigação] nós identificamos que, além comprovar o envolvimento de um policial militar, nós comprovamos o envolvimento do Josimar da Silva Carvalho e uma verdadeira organização criminosa, responsável por articular a entrada de aparelhos celulares e baterias, dentro das unidades do sistema penitenciário”, disse o delegado.

Organograma

  • Foto: Lucas Dias/GP1OrganogramaOrganograma

Ainda de acordo com Charles de Holanda, “esses materiais eram comercializados pelos próprios presos, que tinham como líder o Josimar. Ele tinha a função de arrecadar celulares e baterias fora do sistema penitenciário, onde repassava para o policial [Cláudio], que entregava dentro dos pavilhões e eram comercializados por dois detentos, Ismael Ferreira e Paulo Reis. Ivoneide [presa em Timon] e Israel [vulgo Siri] tinham a função de fornecer os celulares para o Josimar.

Assista ao vídeo

No vídeo é possível ver o ex-preso Josimar Carvalho (que chega no carro) recebendo celulares de Israel Alves, também ex-detento, (que está embaixo da árvore de camisa branca), inclusive os dois se cumprimentam com um aperto de mãos.

Em seguida Josimar também recebe celulares e acessórios de Ivoneide Ângelo, que é mãe e esposa de detentos da Casa de Custódia. Posteriormente, Josimar é flagrado entregando os objetos ao policial militar Claudio Rodrigues, lotado na Casa de Custódia.

Mais conteúdo sobre: