Política

Wellington Dias quer apoio de Silas Freire e do Podemos em 2018

A declaração foi dada durante evento de lançamento do Podemos na sede da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi) em Teresina.

BÁRBARA RODRIGUES E GERMANA CHAVES

- atualizado

O governador Wellington Dias (PT) comentou nesta segunda-feira (02) a declaração do deputado federal Silas Freire de que o Podemos não tem compromisso com o Governo. A declaração foi dada durante evento de lançamento do Podemos na sede da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi) em Teresina.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Silas FreireSilas Freire

Presidente estadual do Podemos, o deputado federal Silas Freireargumentou:“quem está no governo sou eu, porque participei da eleição do governador. O Podemos não é governo. A nova formação do Podemos não tem compromisso com o governo Wellington Dias”.

Sobre isso, Wellington manifestou interesse em ter o apoio de Silas e do partido. “Cabe aos líderes a tomada da decisão, eu tenho deixado claro a minha posição de ter o Silas e os líderes do partido, que assim desejarem contribuindo para o desenvolvimento do país, mas sempre vejo que aí é uma decisão de cada um dos líderes”, destacou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wellington DiasWellington Dias

Crise financeira

Wellington ainda comentou a fala do senador Ciro Nogueira (PP), que cobrou do governo mais controle dos gastos públicos. “O Piauí é hoje um dos estados que apresenta uma das melhores condições de controle nos gastos, tanto na parte de pessoal, custeio, a parte relacionada a precatória, a própria dívida, onde está mantida ainda a capacidade de investimentos. Estamos entre os três estados que possuem essa capacidade de investimento. Os dois grandes desafios que eu vejo na questão de despesas é relacionada a previdência. O outro desafio é a questão da receita partilhada com a União, onde contribuições estão crescendo, mas isso não é partilhado com os estados e nem municípios, por isso tivemos problemas graves, onde tivemos meses em que as parcelas foram reduzidas em 26% , isso é muito fora do padrão. Então de um lado queremos trabalhar para melhorar a receita e encontrar uma alternativa para a questão da previdência”, disse o governador.

*Com informações da repórter Thais Guimarães

MAIS NA WEB