Blog Opinião
GP1

Desabafo de um Preto, Pobre e "Puto"


*Zé da Cruz

Imagem: Bárbara Rodrigues/GP1Zé da Cruz(Imagem:Bárbara Rodrigues/GP1)Zé da Cruz

Gostaria, como disse Vandré, de falar das flores, mas infelizmente por minha coloração black, minha condição socyet e situação geográfica, resido num lugar onde um tal de sistema só permite me manter vivo e me esquivar de bala perdida, crack, fome, desemprego,protelar o pagamento das contas, e não cair no conto de algum agiota extraoficial, porque oficialmente nem que você não queira quando você vê, já foi.

Pois bem, não é disso que quero falar, e sim de jovens adolescentes que tombam sem vida em praças da zona sul, construídas para ser espaço de lazer, e hoje estão mortas por falta de atividades que possam envolver a juventude.Praças que servem pura e simplesmente de campo de batalha em plena zona urbana.

Ó Deus, poderoso Deus, Deus Senhor do universo, Deus do mais poderoso exército, até quando Pai, teremos que aguentar a morte desenfreada dos meus irmãos, teus filhos?Será que tudo isso é por que não temos a pele branca, cartão de crédito internacional ou não moramos na zona nobre? ou será por que não nos deram oportunidade de acumular capital sobrevivendo do que cai da mesa dos ricos?

Será Senhor que é por que não temos condição de pagar uma consulta médica de ultima geração em Miami ou em qualquer parte do mundo? É por que não temos saldo bancário suficiente para ser atendido no Sara kubstchieck, Sírio Libanês, Hospital São Paulo, HTI e patati... patataa...?

Temos que escapar fedendo ou morrer cheiroso, tentando marcar uma consulta para um neurologista no Posto de Saúde do Mário Covas. Se for morador do Parque da Vitória pode esquecer. Ah, ia esquecendo do Hospital do Promorar, HUT e similares onde é fácil topar com um(a), como diz o Marcelo Resende, médico ou enfermeira “lente nervosa” berrando: “corta pra mim”

Só Jesus. Será Senhor, que é por que não temos dinheiro para nossos filhos estudar no Mackenzie, Dom Barreto, Colégio das Irmãs entre tantos outros? AÍ, meus amigos, somos forçados a mandar nossos filhos para uma escola pública. Algumas parecem mais senzalas, onde seu filho finge que assiste aula e os professores fingem que estão lá. Imaginem meus caros leitores, o resultado desastroso dessa fórmula macabra.

Será Senhor, que é por que eu não tenho um carro “da hora”, e tenho que depender das famílias que cuidam do monopólio do transporte coletivo e público de Teresina tendo que me submeter à superlotação no calor de quase 50 graus, sem ar condicionado, tendo que me esconder em sombra de poste, pedaço de papelão, beiral de casa, prédio. Vale tudo pra se proteger do sol, na ausência de pontos de ônibus com cobertura.

O prefeito da cidade disse que ia quebrar essa “caixa branca”. Eu e o povo que paga caro pelo péssimo serviço estamos esperando que seja “Pang” e não ping-pong.Tomara que isso aconteça mesmo, porque senão vou fazer como o Bento Carneiro, o homem que vem do arguém, do além donde veve os mortos. Se não sair a licitação, vou pichar uma maldição de você pegar o Santa Fé via Miguel Rosa ou Vale do Gavião via FAETE, qualquer hora do dia ou da noite.

Será Pai, que é por não ter como pagar segurança particular, e ter que depender exclusivamente da segurança publica que patina e só enxuga gelo, pois o resultado é o aumento desenfreado da violência de ambas as partes. Há uma necessidade urgente de que algo seja feito, e tenho certeza que não é chamar a Guarda Nacional. A solução se resume em duas palavrinhas: políticas públicas. Palavras que o Executivo, o Legislativo e o Judiciário tanto teorizam e não praticam.

A estatística diz que a zona sul é a mais violenta de Teresina, mas essa mesma bichinha não diz que a zona sul é também a mais desassistida pelo poder público onde só chega o braço armado do Estado RONE,Ronda Cidadão, BOPE,GATE,Força Tática. Quero ver chegar é a SASC, FUNDAC, SEMTCAS, SEMEL, FUNDESP, SETRE, SEMJUV, Fundações e ONG’S sérias, porque tem algumas por aí, que o dirigente merecia era tá preso.

Quando esse povo resolver sair do bafo e se mexer, quero ser avisado para ajudar a percorrer o Parque da Vitória, Parque Dagmar Mazza,Vila São Francisco, Santo Antônio, Parque São Jorge, Bom Jesus, São José, Vila Mariana, Afegão, Wall Ferraz, Irmã Dulce, Santa Clara, Angelim,Porto Alegre, Parque Antártica etc, para mostrar que nessas localidades só mora “sangue bom” e merece respeito.

Se as verbas públicas desviadas para finalidades escusas fossem investidas em educação, saúde, lazer, qualificação profissional, geração de emprego e renda, com certeza evitaria que nossos jovens fossem recrutados pelo crime e com certeza precisaríamos menos da polícia e muito menos ainda de presídios, onde manter um único preso custa mais caro que manter um jovem na escola.

Arrevoá!!!!!!

*Zé da Cruz poeta e liderança comunitária

*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do GP1

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.