GP1

Brasil

Pai estupra filha e mãe o perdoa por ser testemunha de Jeová

A mulher acredita que o ato de perdoar abre o caminho para a salvação. A filha foi abusada por seis anos.

Um homem acusado de estuprar a própria filha foi perdoado pela mãe da menina. Segundo a mulher, ela é testemunha de Jeová e acredita que o ato de perdoar abre o caminho para a salvação.

A informação foi confirmada pela tia da criança, em depoimento à polícia, e consta em acórdão do Tribunal de Justiça São Paulo (TJ-SP), que condenou o réu em 2019, a 24 anos de prisão.

Segundo a tia, após saber dos abusos sexuais sofridos pela garota, dos 6 aos 12 anos, resolveu contar para a mãe da menina, a qual afirmou que já sabia dos fatos.

“[A tia] contatou sua irmã, genitora da vítima, que respondeu que já sabia dos fatos e chegou a indagar ao réu, oportunidade em que ele teria admitido os atos libidinosos. Mas a mãe resolveu perdoar o acusado, por ser testemunha de Jeová”, narra o acórdão judicial.

Ainda de acordo com a tia, a irmã tem um “amor doentio pelo réu, com elevada dependência emocional”, e que poderia estar fechando os olhos aos fatos para não ter que se separar do marido. Foi a tia que teria ajudado a menina a procurar uma delegacia e denunciar o pai.

Conforme a garota, o homem a acariciava de forma estranha, manipulava os órgãos genitais e a lambia, até mesmo de madrugada. Geralmente os abusos ocorriam quando os dois ficavam sozinhos na casa.

A menina relatou ainda que após os crimes passou a ter depressão e crise do pânico, além de ter dificuldade em se relacionar com homens e frequentar locais públicos.

Em seu depoimento, a mãe da vítima afirmou que nunca soube de nada. A mulher alegou também que o homem sempre tratou bem os filhos, sendo carinhoso com todos ao seu redor, e nunca apresentou comportamentos suspeitos.

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) não informou se a mãe da criança é investiga por omissão, uma vez que o caso está em sigilo.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.