Fechar
GP1

Brasil

Brasil e Argentina fecham acordo de US$ 600 milhões em exportações

A ideia é que quando for exportado para a Argentina, será pago pelo Banco, que receberá garantia do CAF.

Sergio Massa, candidato à presidência da Argentina, anunciou que após uma reunião na segunda-feira (28) com Fernando Haddad e Lula, fechou um acordo com o Brasil no valor de US$ 600 milhões (mais de R$ 2 bilhões). O objetivo é financiar exportações brasileiras para o país vizinho, que enfrenta uma crise financeira e tem dificuldades para adquirir produtos do Brasil.

Segundo Massa, o mecanismo para garantir as compras envolve cooperação entre o Banco do Brasil (BB), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco de Desenvolvimento da América Latina e do Caribe (CAF).

Haddad informou que a ideia é que quando o exportador brasileiro vender para a Argentina, será pago pelo Banco do Brasil, que receberá a garantia do CAF.


"O BB assegurará as exportações brasileiras, enquanto o CAF garantirá o Banco", explicou Haddad. "Como o ministro mencionou, quando você exporta autopeças para a Argentina, garantem-se divisas para o país. Foi uma maneira que o CAF encontrou para restabelecer o fluxo comercial, sem a Argentina abrir mão das reservas em yuan", concluiu.

O valor financiado para o país vizinho destina-se à conclusão do segundo trecho do gasoduto Néstor Kirchner, com extensão de 600 quilômetros, localizado na Província de Santa Fé. A obra aumentará a produção e ampliará a capacidade de transporte de gás em 30%.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.