Fechar
GP1

Brasil

Tragédia no Rio Grande do Sul: número de mortos chega a 173

De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios, o prejuízo na região chegou a R$ 11,4 bilhões.

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul localizou mais uma pessoa morta nesse domingo (09), devido às enchentes causadas pelas chuvas. Com isso, o número de mortos no estado gaúcho chegou a 173, número que permanecia inalterado desde o dia 02 de junho.

As fortes chuvas que atingiram o estado começaram em 27 de abril e avançaram rumo à direção norte. O mau tempo deixou um rastro de enxurradas e inundações, com mortes e destruição ao longo de rios como Guaíba, Taquari, Sinos, Caí, Gravataí, Pardo e Jacuí. Um imenso volume d´água depois desembocou no Rio Guaíba, que banha a capital Porto Alegre.

Foto: ReproduçãoÁgua invadindo casa no Rio Grande do Sul
Água invadindo casa no Rio Grande do Sul

O transbordamento do Guaíba inundou diversos bairros de Porto Alegre, provocando mortes e destruindo os bens de milhares de famílias. Confira abaixo outros números referentes à tragédia.


De acordo com o último boletim oficial desse domingo (09), um total de 478 municípios foram afetados pelas tempestades, cerca de 18.854 pessoas estão em abrigos e 423 mil estão desalojados.

Prejuízo de R$ 11,4 bilhões

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) estima que as chuvas que provocaram as enchentes no Rio Grande do Sul causaram prejuízo de R$ 11,4 bilhões às cidades afetadas no estado, segundo cálculo atualizado até sexta-feira (07).

A entidade usou como base os dados providos pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR), que aponta os prejuízos financeiros, sendo o setor habitacional o mais prejudicado, com impacto de R$ 4,6 bilhões; seguido do setor privado em geral, com perdas de R$ 4,2 bilhões; do âmbito da agricultura, que perdeu R$ 3,4 bilhões; e do setor público, prejudicado em R$ 2,5 bilhões.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.