Fechar
GP1

Brasil

Restante de material radioativo roubado é encontrado em São Paulo

A peça de radiação que ainda estava ativa foi achada em um ferro-velho durante esta segunda-feira (08).

A Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) localizou, nesta segunda-feira (08), o restante do material radioativo que foi roubado no dia 30 de junho, na cidade de São Paulo. A peça de radiação, que ainda estava ativa, foi achada em um ferro-velho situado na zona leste da capital paulista.

Segundo a pasta, este último material encontrado se trata de uma coluna de gerador 68Ge/68Ga (Germânio/Gálio), “que seria utilizado para um único exame de cintilografia, ou seja, é uma dose muito baixa e um volume muito pequeno”, disse a CNEN.

Foto: Divulgação/CNENImagens do produto roubado
Imagens do produto roubado

Nesse domingo (07), os técnicos já haviam localizado cinco blindagens de chumbo, utilizadas no isolamento das colunas do material radioativo. Ainda conforme a CNEN, as peças permaneceram intactas. “É importante ressaltar que não houve rompimento do material, dispersão ou contaminação, sendo recuperado intacto”, informou o órgão.

Diante disso, a pasta finalizou as diligências de sua competência. Por outro lado, a Polícia Civil de São Paulo prendeu três pessoas, de 21, 25 e 53 anos de idade, por porte de material nuclear e receptação.


Roubo

As peças radioativas, armazenadas em cinco baldes tampados, eram transportadas em uma picape Volkswagen Saveiro, que foi roubada no dia 30 de junho. O material de quatro recipientes se tratava de colunas de 99Mo/99mTc (Molibdênio/Tecnécio), já inativo, ou seja, sua manipulação representa um risco muito baixo para a saúde.

Já no quinto recipiente era armazenado Germânio/Gálio, que ainda estava ativo. No momento do roubo, o veículo e os recipientes que guardavam o material estavam sinalizados com o símbolo internacional de radiação ionizante.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.