GP1

Ciência e Tecnologia

Presidente do Parler diz que rede social pode não voltar mais para o ar

A rede social informou em um processo judicial que tem mais de 12 milhões de usuários.
Por Estadão Conteúdo

A plataforma de mídia social Parler, que saiu do ar depois que a Amazon.com parou de hospedar o site acusado de ser usado por simpatizantes de Donald Trump e por integrantes dos grupos que invadiram o Capitólio na semana passada, pode não voltar mais, disse o presidente-executivo da empresa, John Matze.

Muitos fornecedores de serviços para a rede social cortaram relações com o Parler após a violência registrada em Washington na semana passada, disse Matze.

“Pode ser nunca”, disse ele se referindo a quando a rede social poderia voltar a operar. “Não sabemos ainda.”

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Aplicativo Parler
Aplicativo Parler

Matze disse que o Parler estava falando com mais de um provedor de serviços de computação em nuvem, mas se recusou a divulgar nomes, citando probabilidade de assédio para as empresas envolvidas.

Segundo o executivo, a melhor coisa seria se Parler pudesse voltar pela Amazon. A rede social abriu na segunda-feira uma ação contra a Amazon, classificada pela companhia como sem mérito. “É difícil saber quantas empresas estão dizendo que não podem mais fazer negócios conosco”, disse Matze, acrescentando que o Parler está considerando processar outros fornecedores.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.