Ubiratan Alves é acusado de 'segurar' projeto e prejudicar população

- atualizado

A Câmara Municipal de Gilbués ainda não votou, até a presente data, projeto de lei do executivo que normatiza os instrumentos de regularização fundiária no município.

Diversas pessoas que detêm a posse de imóvel estão impedidas de legalização, devido a não votação da lei.

O presidente da Câmara, vereador Ubiratan Alves, integrante da chamada oposição ao atual gestor Leo Matos (PPL), está sendo acusado de “segurar” o projeto e não colocá-lo em pauta.

Com a demora quem perde é a população, já que os danos causados a todo o município é bastante grave.

Mais conteúdo sobre:
Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Informações sobre política, justiça, jornalismo investigativo e os bastidores de tudo que acontece no Piauí