GP1

Economia e Negócios

Correios planejam demitir 5 mil e fechar 200 agências no país

Segundo o presidente da empresa, 3 mil funcionários já aderiam ao programa de desligamento.

O plano de demissão voluntária lançado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), recebeu até agora a adesão de 3 mil funcionários e a expectativa é que o número chegue a pelo menos 5 mil em todo o país, segundo o presidente da estatal, Guilherme Campos.

O plano de Desligamento Incentivado para Aposentados (PDI), foi aberto em janeiro e tem como público-alvo os empregados com mais de 55 anos e com o tempo de serviço para requerer aposentadoria. Inicialmente, a expectativa era ter de 6 mil a 8 mil adesões, com economia anual de R$ 700 milhões a R$ 1 bilhão.

No entanto, a meta foi reduzida. “A nossa expectativa é ficar em torno de 5 mil. Só os 3 mil que já aderiram já representam uma economia anual da ordem de R$ 400 milhões”, afirmou Campos.

  • Foto: DivulgaçãoCorreiosCorreios

Os correios planeja também, em meio a mais grave crise de sua história, fechar cerca de 200 agências neste ano, além de uma série de medidas de redução de custos e de reestruturação da folha de pagamentos. De acordo com o G1, a empresa acumula dois rombos de R$ 4 bilhões nos últimos dois anos.

A estatal fechou o ano passado com prejuízo em torno de R$ 2 bilhões, após registrar perdas de R$ 2,1 bilhões no ano de 2015. "Estamos trabalhando para reverter esse quadro. O objetivo é colocar a empresa no azul neste ano", disse o presidente. Segundo os Correios, o fechamento de cerca de 200 agências acontecerá sobretudo nos grandes centros urbanos. "Estamos fazendo um processo de otimização onde houver superposição de agência, inclusive para poder aproveitar os reflexos do PDI”, explicou Campos.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.