GP1

Economia e Negócios

Dólar abre negociações em alta voltando a atingir R$ 5,35

Moeda americana acumula valorização superior a 30% nos últimos 12 meses.
Por Estadão Conteúdo

O dólar iniciou as negociações desta quarta-feira, 13, em instabilidade, variando, inicialmente, para cima, atingindo R$ 5,35 (cerca de 0,6% de valorização sobre o dia anterior), e recuando para R$ 5,32 (no mesmo patamar do fechamento de terça-feira, 11) - tudo isso nos primeiros dez minutos de pregão. Por volta de 9h13, o dólar voltou a subir, se firmando em R$ 5,34. Este cenário, com a moeda cotada no patamar de R$ 5,30, acontece em meio a um tom de instabilidade nos mercados internacionais, que acompanham o avanço do novo coronavírus, causador da covid-19, no mundo.

A moeda dos Estados Unidos sobe em relação à maioria das divisas emergentes. A crise política país dá o tom desta quarta nos mercados internacionais, juntamente com o sinal de alerta global com o aumento persistente de casos de covid-19. O dólar sobe perante a maioria das emergentes, os índices acionários futuros em Nova York caem, assim como a maioria das Bolsas na Europa.

Nesta quarta-feira, deve ser votado o processo de impeachment do presidente americano, Donald Trump, acusado de incitar ato classificado como terrorista na semana passada, o qual culminou com a invasão do Congresso americano.

A moeda estrangeira tem tido uma variação muito alta desde março do ano passado. Se compararmos a cotação atual com o valor de 12 meses atrás, a valorização é de cerca de 30%. Neste ano, desde o início do mês de janeiro, a moeda já avançou cerca de 6%. O patamar atual, porém, está longe de ser o mais alto em termos nominais, quando não se desconta a inflação. O recorde foi atingido em 14 de maio do ano passado: R$ 5,9718.

Nas casas de câmbio, de acordo com levantamento realizado pelo Estadão/Broadcast, o dólar turismo é negociado perto de R$ 5,60.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.