Fechar
GP1

Economia e Negócios

Justiça de São Paulo aceita pedido de recuperação judicial da Polishop

A decisão é do juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais.

O juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, aceitou nessa segunda-feira (20), o pedido de recuperação judicial da varejista Polishop. O valor da ação é de quase R$ 400 milhões.

Na decisão, o magistrado afirmou que a Polishop cumpre os requisitos legais para a solicitação. Com isso, todas as execuções, arrestos e penhoras contra a empresa ficarão suspensas por 180 dias.

A Cabezón Administração Judicial é a responsável por fiscalizar as atividades da companhia e deverá apresentar, em 48 horas, um termo de compromisso. Ela terá o prazo de 15 dias para entregar uma proposta de trabalho e remuneração, além de um primeiro relatório sobre o andamento do processo.


A Polishop deverá apresentar contas mensais e outros documentos relevantes, como extratos bancários e comprovantes de recolhimento de impostos.

Um edital será publicado para que os credores da Polishop apresentem habilitações ou divergências à administradora judicial.

Com ao deferimento da solicitação, a Polishop tem o prazo de 60 dias para apresentar seu plano de recuperação. Nele, a companhia deverá detalhar como serão feitos os pagamentos trabalhistas e a credores.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.