Teresina - PI

ABECS repudia banner do Sindserm que mostra PM's como cachorros

O banner foi produzido para anunciar uma Assembleia Geral Extraordinária, que aconteceu na última quinta-feira (11), dia em que a categoria intitulou como “Dia da Infâmia Municipal”.

Débora Dayllin
Teresina
- atualizado

O presidente da Associação de Cabos e Soldados (ABECS), cabo Márcio Vieira, procurou o GP1 na tarde deste sábado (13), para repudiar um banner produzido pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (Sindserm), onde mostra policiais militares como se fossem cachorros, avançando contra trabalhadores.

O banner foi produzido para anunciar uma Assembleia Geral Extraordinária, que aconteceu na última quinta-feira (11), dia em que a categoria intitulou como “Dia da Infâmia Municipal”, como explica o presidente do sindicato Sinésio Soares nas redes sociais. “Em 2002, no dia 11 de abril, a polícia sob ordens do então governador Hugo Napoleão (DEM) massacrou as(os) servidoras(es) municipais, que estavam lutando por direitos, a mando do prefeito Firmino Filho (PSDB) e do então presidente da Câmara Municipal, Fernando Said (PSDB). Em homenagem à heroica resistência, os movimentos sociais de Teresina elegeram esta data como o Dia da Infâmia Municipal”, explica Sinésio.

  • Foto: Montagem/GP1Banner do SindsermBanner do Sindserm

Para o presidente da Abecs, a ação ofendeu todos os policiais militares do estado. “Isso foi um ato que aconteceu em 2002 e que eles, nesse ano, reviveram esse ato e decretaram como dia da infâmia, transformando os policiais militares em cachorros do Governo. Eu quero repudiar esse banner e dizer ao sindicato que nós somos pais de família, trabalhadores e cidadãos iguais a eles. A Polícia Militar é chamada quando a ordem pública é violada, a PM não é chamada para punir cidadão não, ela é chamada para fazer cumprir a lei, e foi o que fizemos e vamos fazer”, afirmou.

Ainda de acordo com o presidente da Abecs, a associação vai entrar na justiça contra o sindicato.“Nós estamos tomando todas as medidas jurídicas para que eles paguem pelo crime que cometeram, porque isso é um crime. Nós vivemos em um país democrático de direito, porém seu direito termina quando começa o do outro e o que eles fizeram não foi só ferir nosso direito, mas transformar uma instituição tão honrosa como a PM, dizendo que somos cachorros do Governo”, informou o cabo Márcio.

  • Foto: Laura Moura/ GP1Cabo Márcio Vieira da Silva, presidente da ABECSCabo Márcio Vieira da Silva, presidente da ABECS

“Estamos convocando todos aqueles que se sentiram ofendidos para vir até a ABECS para entrarmos com uma ação tanto coletiva como individual contra o sindicato. Mas a justiça vai ser feita. O Sidserm foi longe demais, e eles devem pagar pelo que fizeram com todo rigor da lei, não pouparemos esforços”, finalizou.

Outro lado

Procurado, Sinésio Soares, presidente do Sindserm não foi localizado pelo GP1.