Teresina - PI

Aliança pelo Brasil realiza coleta de assinaturas em Teresina

A advogada Rubenita Lessa, representante da legenda no Piauí, afirmou que essa é uma oportunidade da direita conservadora ter um partido que defenda os seus ideais.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Fábio Wellington
Teresina
- atualizado

Primeiro Encontro de Apoiadores do Aliança pelo Brasil na Capital

Foi realizado neste domingo (26), no Atlantic City em Teresina, o primeiro encontro de apoiadores do Aliança pelo Brasil no Piauí. O evento foi realizado com o objetivo de coletar assinaturas para que consiga ser registrado como partido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para isso o Aliança pelo Brasil precisa conseguir 492 mil filiações em no mínimo 9 estados brasileiros. Se conseguir até março essas assinaturas, é possível que participe das eleições deste ano, caso não consiga, então terá que esperar o próximo pleito.

A advogada Rubenita Lessa, representante da legenda no Piauí, afirmou que essa é uma oportunidade da direita conservadora ter um partido que defenda os seus ideais.

“No campo político representa o avanço da direita, do conservadorismo no Brasil e se institucionalizando como partido político que é o primeiro genuinamente conservador e que tem no seu estatuto a defesa da vida desde a concepção, a defesa da família como base da sociedade, defesa a liberdade a propriedade, e inclusive com acesso das armas, combate a erotização das crianças, o respeito da personalidade da infância, combate ao socialismo e comunismo, então tudo representa esse momento e o encontro tem essa marca do Piauí dando a sua contribuição”, explicou.

Rubenita Lessa destacou que “o objetivo é coletar o maior número de assinaturas e dar esse start inicial, precisamos correr o mais rápido possível para cumprir a meta e o partido ser formalmente criado e quem sabe disputar a eleição de 2020. São [necessárias] 492 mil assinaturas do Brasil e isso distribuídos em 9 estados da federação, mas o que passaram pra gente é que está com 70% do cumprimento da meta, então estamos correndo com isso”.

A advogada Andreia Araújo, que atua na coordenação jurídica do Aliança pelo Brasil no Piauí e Maranhão, afirmou que existe um trabalho em conjunto para conseguir essas assinaturas o mais rápido possível. “No Piauí esse é o primeiro momento que temos uma ação integrada para a coleta de assinaturas, mas durante todo esse período, desde o final de dezembro, quando iniciamos a coleta de assinaturas, tem o voluntariado né, de pessoas indo aos cartórios eleitorais, preenchendo as fichas”, destacou.

Ela explicou que após conseguir o número mínimo de filiações, “o passo seguinte é comunicarmos ao TSE e pedimos o registro do partido e a liberação para que seja autorizado filiar. Temos até o 4 de abril, para que consigamos filiar aqueles que querem ser candidatos no pleito de 2022”.

Alex Ceará, pré-candidato a vereador em Fortaleza, participou do evento e disse que acreditar que vão conseguir atingir a meta. “Se Deus quiser vai sair, vai dar tempo, com o esforço enorme nunca visto no Brasil. Todos estão estimulados, todo mundo muito feliz e estamos unidos para ajudar o presidente, somos uma extensão do presidente e precisamos ajudar ele. O Aliança é uma plataforma que pretende ser o maior partido de direita do Brasil e a gente quer trazer um outro ambiente, pois acreditamos que esse grupo estava dentro de uma bolha que não estava olhando para o Brasil, posso até dizer que maligno, é um mal para o Brasil e estamos aqui para mudar isso daí. Existe um plano severo contra a família e estamos indo contra isso”, afirmou.

Mais conteúdo sobre: