Saúde

Anvisa autoriza aplicação da 2ª dose de vacina de Oxford contra covid-19

Segundo o documento, os voluntários devem tomar o reforço entre 4ª a 6ª semanas após a primeira imunização.

Fábio Wellington
Teresina
- atualizado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, na manhã desta segunda-feira (10), que os voluntários que receberam a primeira dose da vacina de Oxford contra a covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, recebam a segunda dose da imunização.

Segundo o documento, os voluntários devem tomar o reforço entre 4ª a 6ª semana após a primeira imunização. As pessoas selecionadas para o experimento que ainda não receberam a primeira dose devem aguardar também, um intervalo mínimo de 4 semanas para receber a segunda.

A diferença no prazo de aplicação, se deve à necessidade do órgão responsável entrar em contato novamente com cada voluntário e mobilizá-lo para receber a segunda dose.

Ampliação dos voluntários

A Anvisa também ampliou a idade máxima dos participantes da pesquisa de 55 para 69 anos. A idade mínima continua sendo a de 18 anos de idade.

Unifesp, parceira de Oxford na pesquisa da vacina no Brasil, divulgou que a ampliação representa um degrau a mais no avanço da fase 3 da vacina, já que o grupo até 55 anos não teve intercorrências graves, o teste poderá ser feito com idosos mais velhos, que têm, em tese, maior risco.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

'Devemos nos preparar para outros surtos', diz cientista de Oxford

Vacina de Oxford é segura e gerou resposta imune contra covid-19

Vacina da Universidade de Oxford pode ter registro aprovado em junho de 2021