Barras - PI

Assassino de Kelson Feitosa pede revogação de prisão preventiva

A defesa do assassino ajuizou pedido, alegando que o acusado é primário, tem bons antecedentes e reside em endereço certo e conhecido. O advogado foi morto dentro de seu escritório com cinco tiros.

Gil Sobreira
Teresina
- atualizado
  • Foto: DivulgaçãoFrancisco de SousaFrancisco de Sousa

A defesa de Francisco de Sousa Rosa, assassino confesso do advogado Kelson Dias Feitosa, crime ocorrido em 06 de junho de 2016, na cidade de Barras, ajuizou pedido de revogação de prisão preventiva.

De acordo com o advogado Hamilton Coelho Resende Filho, o acusado é primário, tem bons antecedentes e reside em endereço certo e conhecido. O pedido foi protocolizado em 18 de julho de 2016 e está concluso para a decisão do juiz da Comarca.

Entenda o caso

Francisco de Sousa Rosa foi denunciado à Justiça pela prática dos crimes tipificados como homicídio qualificado por motivo fútil e mediante a utilização de recursos que impossibilitou a defesa da vítima, bem como da tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil.

Segundo a denúncia, Francisco de Sousa Rosa, no dia 13 de junho de 2016, as 10:00 horas, foi até o escritório de advocacia localizado a Rua Leônidas Melo, 180, na cidade de Barras, e utilizando uma arma de fogo, deflagrou 5 tiros contra o advogado Kelson Dias Feitosa, provocando a sua morte. Em seguida dirigiu-se ao Mercadinho Veloso, onde de arma em punho, efetuou disparos contra a vítima Sebastião da Silva Veloso, porém, os cartuchos não foram deflagrados e em seguida efetuou várias coronhadas contra a cabeça de Sebastião.

O advogado assassinado esteve dias antes, em 07 de junho, no Fórum da Comarca de Demerval Lobão, numa audiência com o assassino confesso, que havia ajuizado ação reparatória de danos morais. Kelson era o advogado de Sebastião da Silva Veloso.