Teresina - PI

Audiência pública discute criação de novo aeroporto em Teresina

O secretário estadual de Transportes, Gustavo Aquino avaliou que o aeroporto no local onde está “engessa” o crescimento da cidade.

Andressa Martins
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

A Câmara Municipal de Teresina realizou na manhã desta segunda-feira (2) uma audiência pública para tratar sobre a as dificuldades enfrentadas no Aeroporto Petrônio Portella e a possível construção de um novo aeroporto na zona rural da capital. O vereador R. Silvaque propôs a audiência pública.

A vereadora Cida Santiago defendeu que o ideal seria construir um novo aeroporto em um local mais afastado da cidade. Como o Aeroporto de Teresina se encontra na zona norte da capital, onde há residências e estabelecimentos, aumentar o perímetro implicaria em retirar os moradores dos bairros próximos que estão nas áreas de risco.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Cida SantiagoCida Santiago

“Acho interessante a gente estar dando uma resposta ao nosso povo, pois perdura por muito tempo essa realidade, não podemos estar violentando os moradores mais antigos da região, que são idosos. Seria uma violência, tirar eles do seu habitat natural. Acredito que o certo mesmo seria estar levando o aeroporto a um local que fosse mais distante de Teresina”, afirmou a vereadora Cida Santiago.

Secretaria Estadual de Transportes

O secretário estadual de Transportes, Gustavo Aquino, participou da audiência e explicou que a secretaria fez um estudo preliminar de viabilidade de alternativas para terrenos onde poderia ser construído um novo aeroporto para a capital. Aquino avaliou que o aeroporto no local onde está “engessa” o crescimento da cidade.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Sessão na Câmara de Vereadores de TeresinaSessão na Câmara de Vereadores de Teresina

“É sabido que o aeroporto no local atual engessa muito o crescimento da cidade, além da questão do transporte de cargas. Ele inviabiliza o transporte de cargas e a implantação de indústrias e crescimento. É importante que o Governo do Estado juntamente com a Prefeitura de Teresina formatasse uma proposta concreta, consistente e um estudo aprofundado para podermos apresentar ao Governo Federal”, disse.

200 áreas de risco

O Ministério da Aeronáutica apontou 200 áreas de risco nas proximidades do aeroporto Petrônio Portella. De acordo com os estudos, seria necessário que algumas residências e pequenos prédios fossem rebaixados.

O vereador R. Silva, que propôs a audiência pública, falou sobre a determinação do Ministério da Aeronáutica de retirar o que são considerados obstáculos para o aeroporto.

  • Foto: Lucas Dias/GP1R. SilvaR. Silva

“O Ministério da Aeronáutica recentemente determinou a retirada de obstáculos de nossa cidade. São mais de 200, incluindo igrejas, prédios, residências, antenas e a cidade não consegue crescer verticalmente em função do aeroporto. Então há exatamente um trabalho no sentido que seja iniciado os procedimentos de um novo aeroporto em outra área da cidade”, disse.

O superintendente da Infraero do Aeroporto Petrônio Portella, Fernando Nicacio, no entanto, disse que todas as medidas de segurança são tomadas pela administração do aeroporto. Nicacio disse ainda que o aeroporto é “extremamente operacional” e pode duplicar o número de voos.

  • Foto: Lucas Dias/GP1NicacioNicacio

“A verdade hoje é que a gente tem um aeroporto que é extremamente operacional, reúne uma série de características importantes para garantir a segurança e operacionalidade desse ambiente, do embarque e desembarques de passageiros, dos pousos e decolagens das aeronaves e como tal a gente vai dar todo empenho em manter ele operacional”, destacou.

Nicacio destacou ainda que no ano de 2018 1,1 milhão de pessoas passaram pelo aeroporto de Teresina. Atualmente o Petrônio Portella conta com 13 voos diários e de acordo com o superintendente, a Infraero trabalha em conjunto com as prefeituras de Timon e Teresina para garantir a segurança.

“Temos feito um trabalho com a Prefeitura de Teresina e a Prefeitura de Timon no sentido de eliminar eventuais obstáculos para dar garantia dessa segurança. Esse trabalho é contínuo e se o aeroporto tivesse uma segurança que não permitisse a operação os órgãos que fazem essa fiscalização já teriam tomado a medida de interdição. O que a gente precisa é viabilizar continuamente essas condições de segurança para dar longevidade ao aeroporto”, finalizou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Sessão na Câmara Municipal de TeresinaSessão na Câmara Municipal de Teresina

Privatização

O Aeroporto Petrônio Portella está na lista do Governo Federal para privatização ou licitação por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). O aeroporto de Teresina está no “Eixo Central”, que vai contemplar aeroportos de São Luís, Imperatriz, Palmas e Petrolina. O leilão deve acontecer no segundo semestre de 2020.

A secretária de Planejamento do município, Jhamile Almeida, disse que a Infraero vai pedir à empresa que ganhar a licitação do aeroporto faça estudos para possivelmente construir um aeroporto em outro local.

“Temos a informação que a Prefeitura de Teresina já chegou na Infraero, nessa proposta de privatizações, ficou como compromisso da Infraero de repensar, dentro da proposta de privatização, a empresa que ganhar vai fazer um estudo técnico para saber qual melhor local para o aeroporto de Teresina”, afirmou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ministro diz que leilão do aeroporto de Teresina vai gerar competição

Infraero diz que está fazendo correções no aeroporto de Teresina