Economia e Negócios

Bolsonaro diz que, se capitalização ficar de fora, o 'governo prossegue'

Presidente também cogitou que medida volte ao texto da reforma da Previdência por iniciativa parlamentar: 'Sabemos que a Câmara tem legitimidade para alterar'.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta terça-feira, 18, que o governo "prossegue" caso a proposta do regime de capitalização fique de fora do texto final da reforma da Previdência, e ponderou ainda que um eventual retorno da medida pode acontecer por iniciativa parlamentar. "Gostaríamos que tudo que propusemos fosse acolhido, mas sabemos que a Câmara tem legitimidade para alterar. Se não for acolhido, o governo prossegue", disse a jornalistas antes da reunião do Conselho do governo.

Questionado se o governo vai tentar retomar a capitalização, o presidente destacou que o próprio Congresso pode propor que o regime volte ao texto da proposta que muda as regras da aposentadoria no Brasil. "Às vezes nem o governo, as próprias bancadas, líder partidário pode propor uma emenda e destacá-la", respondeu.

  • Foto: Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão ConteúdoJair BolsonaroJair Bolsonaro

Além da capitalização, o parecer do relator da Comissão Especial da Câmara, Samuel Moreira (PSDB-SP), retirou do texto alterações como as previstas para o Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos e deficientes de baixa renda, e para a aposentadoria rural.

Mais conteúdo sobre: