Mundo

Donald Trump diz que impeachment é ‘caça às bruxas’ e ‘perseguição’

Presidente americano usou sua conta oficial no Twitter para denunciar processo aberto contra ele na Câmara dos Representantes.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi a sua conta oficial no Twitter para denunciar o processo de impeachment aberto contra ele na Câmara dos Representantes. Trump classificou o processo como uma "caça às bruxas total" e "perseguição presidencial".

"Eles nunca viram a transcrição do telefonema", ressaltou Trump, em referência à conversa que teve com o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, que motivou a abertura do processo.

Mais cedo, o presidente americano disse na rede social que autorizou a divulgação "completa, integralmente desclassificada e não redigida" da ligação. Trump enfrenta acusações de que teria pressionado Zelensky para que fosse aberta uma investigação contra o filho do ex-vice presidente Joe Biden, que é também pré-candidato democrata às eleições de 2020.

"O secretário de Estado (Mike) Pompeo recebeu permissão do governo da Ucrânia para a divulgação da transcrição do telefonema que eu tive com o presidente (Zelensky)", acrescentou, mais tarde. "Eles nem sabem qual é a grande questão. Um esquema de caça às bruxas total pelos democratas!"

Trump também publicou um vídeo em que vários comentaristas de TV e políticos democratas defendem a possibilidade de impeachment. O vídeo contém uma gravação de Trump em um comício, em que comenta que seus índices de popularidade nunca foram tão altos, e termina com a mensagem: "Enquanto o 'único foco' dos democratas é lutar contra Trump, o presidente Trump está lutando por você".

Telefonema

O presidente promete divulgar a íntegra da ligação na quarta-feira, 25. Isso ocorre após o Diretório de Inteligência Nacional, da Casa Branca, negar acesso à Comissão de Inteligência do Congresso.

O assunto ganhou as manchetes do país após um funcionário do governo protocolar uma denúncia anônima que relatava a conversa, que considerou suspeita. Segundo o jornal The New York Times, Trump teria congelado US$ 391 milhões em ajuda humanitária ao conflito entre Ucrânia e separatistas apoiados pela Rússia.

A condição para que o dinheiro fosse liberado, segundo jornais do país, era que o líder ucraniano abrisse uma investigação contra Robert Hunter Biden, que integrou a diretoria de uma empresa de gás no país enquanto seu pai era vice-presidente dos EUA, no governo Barack Obama.

NOTÍCIA RELACIONADA

Democratas iniciam processo para impeachment de Donald Trump

Mais conteúdo sobre: