Teresina - PI

Dono de lava-jato é executado com tiro na cabeça no Promorar

Equipes do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa e da perícia criminal foram acionadas, juntamente com o Instituto Médico Legal (IML).

Brunno Suênio
Teresina
Wanessa Gommes
Teresina
Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

Dono de lava-jato é morto no bairro Promorar

O proprietário de um lava-jato, identificado como Lucas Sousa, foi executado com pelo menos um tiro na cabeça, no início da noite desta quarta-feira (19), no bairro Promorar, na zona sul de Teresina. O crime aconteceu na Avenida Transversal 2. Um dos acusados já está preso. A polícia acredita que o crime foi premeditado, pois o empresário já havia recebido ameaças.

De acordo com informações do capitão Silas, comandante da Companhia Independente do Promorar, o crime aconteceu por volta das 18h30, próximo ao quartel da PM do bairro Promorar. Três criminosos cometeram o crime.

"Eles chegaram num Celta prata, um desembarcou do carro e já foi efetuando disparos contra a vítima, pelo um disparo atingiu a região da cabeça, mas só a perícia poderá precisar a quantidade. Ele foi morto no lava-jato, local de trabalho, era bastante conhecido. Nós lamentamos o fato. Com certeza o crime foi premeditado", declarou o Silas.

Um dos envolvidos foi preso pouco tempo depois: "Ele estava conduzindo o veículo que havia sido utilizado no crime e ao realizarem a verificação no veículo, os policiais encontraram um carregador municiado. Ele foi encaminhado para a Central de Flagrante para os procedimentos legais", afirmou Silas.

Um irmão da vítima contou à polícia, que na semana passada, o bandido que foi preso, foi até o lava-jato ameaçar Lucas: "Mas, o irmão, que trabalhava com ele, não revelou detalhes da ameaça", informou o comandante.

Equipes do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa e da perícia criminal foram acionadas, juntamente com o Instituto Médico Legal (IML) para a remoção do corpo.

Os policiais da Companhia do Promorar seguem em diligência para tentar chegar aos outros envolvidos, que também não tiveram os nomes revelados, para não atrapalhar o trabalho da polícia.