Piauí

Florentino Neto discute logística de vacinação da covid-19 com secretários

Segundo o secretário, epresentantes do Instituto Butantã, um dos órgãos de pesquisa fabricantes de vacina no Brasil, mostrou se disposto a produzir 210 milhões de doses da vacina em 2021.

- atualizado

O Secretário de Estado da Saúde (Sesapi), Florentino Neto, participou na tarde desta quarta-feira (14/10) de reunião com a equipe do Ministério da Saúde, Fiocruz, Instituto Butantã e secretários de saúde de todos os estados brasileiros para tratar sobre a aquisição e plano de vacinação contra covid-19. No encontro, que aconteceu virtualmente, Ministério da Saúde propôs que a campanha de vacinação da COVID-19, deverá, inicialmente, ter um público alvo específico que inclui idosos a partir de 80 anos, pessoas com comorbidades e profissionais da área de saúde.

O Secretário Florentino acha importante a interlocução do Ministério da Saúde com os demais Estados. O Nordeste, liderado pelo governador Wellington Dias, que está à frente do Consórcio Nordeste, está buscando alternativas para garantir a vacinação dos nordestinos. “Através do amplo diálogo com instituições como Fiocruz e Instituto Butantã, estamos tentando garantir a imunização do nosso povo”, afirma.

  • Foto: Divulgação/AscomFlorentino Neto discute logística de vacinação da covid-19 com secretáriosFlorentino Neto discute logística de vacinação da covid-19 com secretários

Segundo ele, representantes do Instituto Butantã, um dos órgãos de pesquisa fabricantes de vacina no Brasil, mostrou se disposto a produzir 210 milhões de doses da vacina em 2021. “ Seriam 100 milhões para o primeiro semestre, com produção a partir de abril e 110 milhões adicionais até dezembro/21”, revela o secretário. Florentino explica que, no entanto, ainda não é possível prever quanto tempo de proteção o medicamento vai garantir e nem quantas doses serão necessários por pessoa.

Na reunião, o Ministério da Saúde comunicou que está modificando o seu sistema de informação do Programa Nacional de Imunização, que a partir de agora o cadastro de todas as vacinas será feito pelo CPF do cidadão. “ Esta alteração se faz necessária para a melhoria dos dados vacinais do estado brasileiro, bem como ajuda no monitoramento e avaliação de todos os brasileiros que receberam a vacina contra o novo coronavírus”, diz o secretário.