Política

Geólogos da CPRM pesquisam subsolo na região Sul

A área que está sendo pesquisada é superior a 12 mil quilômetros quadrados

Do GP1

Fonte - CCOM

Três equipes formadas por seis geólogos da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais(CPRM) estão, desde o mês de agosto, fazendo um levantamento aerogeofísico no Sul do Piauí, que vai determinar as ocorrências minerais na região num prazo de dois anos.

O trabalho, segundo o chefe da residência da CPRM no Piauí, Reinaldo Soares Filho, vai possibilitar que o Governo faça licitação para o ingresso de empresas privadas que atuam no setor de mineração que, por sua vez, irão dimensionar o tamanho das jazidas indicadas no levantamento. “Vamos fazer um retrato da geologia em escala de um por mil, com todas as suas potencialidades.”

A área que está sendo pesquisada é superior a 12 mil quilômetros quadrados e fica ao longo do trecho piauiense da Ferrovia Transnordestina, que terá 424 quilômetros e ligará a cidade de Elizeu Martins à divisa do Piauí com Pernambuco.

Técnicos da CPRM confirmam a ocorrência de jazidas de ferro de alto teor de pureza na região de Paulistana, que será beneficiada com a ferrovia. O que falta é o levantamento aerogeofísico para que se possa iniciar o trabalho de dimensionamento das jazidas e a sua viabilidade econômica.

Reinaldo Soares explica que onde existe ferro, existem também vários outros tipos de minerais, citando como exemplo o manganês. “Mas só esse levantamento que estamos fazendo poderá identificar com segurança o que realmente existe no subsolo da região.”

Poço - Reinaldo Tavares informou, também, que a CPRM está perfurando um poço com 750 metros de profundidade, na localidade de Mirolândia, no município de Picos. O poço, que vai custar cerca de R$ 600 mil e terá uma vazão de 50 mil litros de água por hora, vai garantir o abastecimento de 150 casas de farinha que existem na região.