Política

Henrique Meirelles defende candidatura de Michel Temer em 2018

O ministro acredita que o presidente Temer não deve descartar a possibilidade de ser candidato em 2018 e disse que isso não influenciaria a sua possível candidatura à presidência pelo PSD.

Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), afirmou nesta quinta-feira (21) que o presidente Michel Temer (PMDB) seria um bom cabo eleitoral em uma possível candidatura à reeleição em 2018.

Segundo oEstadão, a declaração aconteceu durante entrevista coletiva realizada na sede do PSD. Ele explicou que a melhoria na economia ajudaria Temer. “Acredito que sim (Temer é bom cabo eleitoral), talvez não hoje, mas certamente em 2018. Com a recuperação da economia, os índices de aprovação do governo vão mudar muito", afirmou Meirelles.

  • Foto: André Dusek/Estadão ConteúdoHenrique MeirellesHenrique Meirelles

O ministro acredita que o presidente Temer não deve descartar a possibilidade de ser candidato em 2018 e disse que isso não influenciaria a sua possível candidatura à presidência pelo PSD."A resposta do presidente é absolutamente correta (sobre não descartar candidatura à reeleição). Mas isso não influencia em nada, na medida em que nem tomei decisão (sobre concorrer ou não)", disse Meirelles

Ele ainda comentou a possibilidade de ser candidato pelo partido, afirmando que a decisão acontecerá entre os meses de março e abril. "Começarei com decisão pessoal: se estou disposto ou não a entrar nesse processo [eleitoral]. Depois viriam questões políticas, partidárias, coligações e tempo [de TV]", explicou antes de citar a influência das pesquisas de intenção de voto. "Sobre pesquisas, não estou pensando agora em tomar decisão e em qual é o critério. [O critério] não é 'vou ser candidato se passar da porcentagem tal'. Se fosse assim, eu já teria tomado uma decisão, o que não é o caso", explicou.

  • Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão ConteúdoMichel TemerMichel Temer

Meirelles deixou claro que se fosse candidato, continuaria a defender a gestão de Temer. "Nos meus tuítes de hoje, já existe defesa explícita do governo Temer. É um governo do qual faço parte e que teve coragem de fazer todas as reformas", argumentou o ministro, destacando que “não estou pensando nos fatores para decidir sobre candidatura. Na hora, analisaremos as condições".

Mais conteúdo sobre: