Teresina - PI

Motoristas e cobradores de ônibus paralisam atividades em Teresina

A categoria reivindica o pagamento dos 30% das empresas de ônibus previstos na MP do Governo Federal.

Nathalia Carvalho
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

Os motoristas e cobradores do transporte público de Teresina paralisaram suas atividades em ato de protesto na manhã desta terça-feira (08) nas praças da Bandeira, Saraiva e João Luís Ferreira, localizadas no centro da Capital.

A categoria reivindica o pagamento salarial dos 30% das empresas de ônibus, acordo firmado mediante Medida Provisória (MP) do Governo Federal na qual o governo se comprometeu a pagar 70% do valor durante a pandemia do coronavírus e o restante fica a cargo das empresas. Eles pedem ainda que sejam pagos os tickets alimentação que foram suspensos.

  • Foto: Alef Leão/GP1Motoristas e cobradores de ônibus realizam manifestação em TeresinaMotoristas e cobradores de ônibus realizam manifestação em Teresina

“O Setut não pagou os 30% da MP, nem os tickets de alimentação no valor de R$ 611 e nem o plano de saúde. Estamos realizando essa manifestação porque não concordamos com isso que o Setut está fazendo. Temos uma jornada de trabalho de 7 horas 20 minutos e não concordamos com isso, eles assinaram uma MP e tem que cumprir com a parte deles. Se não chegar a um consenso vamos realizar outras manifestações, o Setut recebe 2 milhões e na hora de pagar o salário dos colabores, não pagam. Não tem como suportar isso”, afirmou Marcelino Lopes, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Setut).

Desde as 6h da manhã os ônibus de Teresina estavam parados, a maior concentração se deu na Praça da Bandeira, uma extensa fila de veículos estacionados se formou na rua Areolino de Abreu. Por volta das 9h os motoristas e cobradores decidiram retomar as atividades e o serviço já foi reestabelecido.

  • Foto: Alef Leão/GP1Manifestação dos motoristas e cobradores de ônibusManifestação dos motoristas e cobradores de ônibus

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Setut) negou as irregularidades e disse que vem cumprindo com os pagamentos da folha aos seus colaboradores, conforme preconiza a Medida Provisória. Informou ainda que desde janeiro as empresas estão desobrigadas a pagar o ticket alimentação.

Confira a nota na íntegra

“O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que as empresas vêm cumprido com os pagamentos da folha aos seus colaboradores (motoristas, cobradores e demais setores), conforme preconizam os ditames das MPs e Decretos Federais nos últimos quatro meses, para atender necessidades diante do cenário da pandemia Covid 19.

Sobre o ticket alimentação, a entidade esclarece que desde de janeiro de 2020, as empresas estão desobrigadas a pagar, uma vez que este item não foi motivo de negociação coletiva para 2020. Portanto, não há obrigação legal”.

Mais conteúdo sobre: