Teresina - PI

Polícia apreende 43 kg de maconha durante operação em Teresina

A droga foi flagrada dentro de bagagens de um passageiro, com destino a Parnaíba.

BRUNA DIAS E THAIS GUIMARÃES
- atualizado

Policiais da Delegacia Especializada de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE) apreenderam durante operação em Teresina, na madrugada desta segunda-feira (26), 43 quilos de maconha, dentro de um ônibus da empresa Guanabara, que fazia linha Brasília-Parnaíba.

O secretário de Segurança Pública do Piauí, capitão Fábio Abreu, participou da ação. De acordo com ele, a droga foi flagrada dentro de bagagens de um passageiro, com destino a cidade de Parnaíba. Três pessoas foram presas. Elas foram identificadas como: Valder Jonas Gomes Ferreira, Thaís Ferreira Rodrigues (namorada de Jonas) e Lucilene Ferreira Gomes (tia de Jonas).

  • Foto: Divulgação/PCDroga apreendidaDroga apreendida

“Foram apreendidos 42 tabletes. Ela [a droga] vinha num ônibus da Guanabara, de linha Brasília-Parnaíba. Vinha despachada com um homem, duas mulheres e uma criança [filha de Jonas]. Os três adultos foram presos e a criança vamos encaminhar para o Conselho Tutelar”, relatou o secretário.

  • Foto: Divulgação/PCDroga foi flagrada dentro de ônibusDroga foi flagrada dentro de ônibus

Segundo o delegado Tales Gomes, as investigações apontam que Valder Jonas tem ligação com o tráfico de drogas em Parnaíba. A polícia chegou até o suspeito através de denúncia anônima.

  • Foto: Thais Guimarães/GP1Delegado TalesDelegado Tales

"Ontem nós recebemos a informação de que um rapaz de nome Valder Jonas estava vindo de Brasília a Parnaíba, juntamente com familiares dele em um ônibus interestadual portando droga. Como ele já é uma pessoa conhecida em termo de investigação, ele tem ligação com o tráfico de drogas em Parnaíba, fizemos uma pesquisa nas empresas de ônibus e constatamos que ele estava em determinado ônibus. Fizemos o deslocamento para o interior do estado, onde nós encontramos o ônibus e viemos escoltando até Teresina. Fizemos a abordagem, revistamos cada passageiro, de forma individual, que descia e retirava sua bagagem mediante apresentação, de forma que já sabíamos que o Jonas era o suspeito, a denúncia era indicativa dele, que estava com a droga, deixamos ele por último. As últimas bagagens que ficaram no ônibus eram dele, não teve como ele se desvencilhar da droga", contou.

  • Foto: Divulgação/PCPresos pela DeprePresos pela Depre

Mais conteúdo sobre: