Bom Jesus - PI

PRF-PI prende empresário alcoolizado após acidente na BR 135

Segundo informações da PRF, os policiais foram acionados após receberem a informação de um acidente envolvendo um veículo Amarok CD 4X4 na BR 135.

Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

A Polícia Rodoviária Federal no Piauí (PRF) prendeu em flagrante um empresário de 75 anos, de identidade não revelada, por conduzir veículo alcoolizado após ele se envolver em um acidente na BR 135, em Bom Jesus, na noite de sexta-feira (4).

Segundo informações da PRF, os policiais foram acionados após receberem a informação de um acidente envolvendo um veículo Amarok CD 4X4 na BR 135. Quando os policiais chegaram ao local, encontraram o veículo parado no acostamento e o motorista estava dormindo dentro do veículo.

  • Foto: Divulgação/PRF-PIAmarok de empresário encontrada na BR 135 Amarok de empresário encontrada na BR 135

“No momento da abordagem, os policiais detectaram que o condutor apresentava sinais evidentes de embriaguez alcoólica. O condutor se recusou a realizar o Teste de Alcoolemia, porém os policiais lavraram o Termo de Constatação de Embriaguez que comprova o estado físico do homem”, informou o inspetor Alexsandro Lima, da Polícia Rodoviária Federal no Piauí.

O motorista foi questionado sobre o acidente e teria informado que foi ofuscado por um caminhão e perdeu o controle, saindo da pista de rolamento, mas segundo o inspetor Alexsandro Lima, isso não foi comprovado.

Os policiais ainda fizeram uma verificação em relação a situação do veículo e descobriram que ele estava com débitos de licenciamento no valor de R$ 3.289,98 e que o condutor estava com a CNH vencida desde 2018.

O empresário foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Civil de Bom Jesus e ele deve responder pelo crime de conduzir veículo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool. “Além das autuações devidas, o homem teve seu veículo recolhido ao pátio de empresa conveniada com a PRF e encontra-se a disposição do proprietário para a devida regularização”, explicou Alexsandro.