Piauí

Taróloga é acusada de aplicar golpe de R$ 117 mil em piauiense

A vítima registrou Boletim de Ocorrência contra a taróloga em outubro de 2018 no 6º Distrito Policial em Teresina.

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

Uma taróloga identificada como Lívia está sendo acusada de aplicar golpe de mais de R$ 117 mil em uma piauiense de iniciais V.M.R.V, de 38 anos. A vítima registrou Boletim de Ocorrência contra a taróloga em outubro de 2018 no 6º Distrito Policial em Teresina. Já no dia 22 de janeiro deste ano foi instaurado um inquérito policial pela delegada Adília Klein, da Delegacia de Crimes de Informática.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, a vítima encontrou a taróloga por meio do perfil do Instagram @tarologalivia e ao contatar para fazer um “trabalho”, foi cobrada o valor de R$ 450,00. A vítima depositou a quantia na conta de Atílio Nicolitch Nicoli e logo em seguida iniciaram as extorsões.

Ainda segundo o documento, Lívia teria ligado para a vítima informando que precisava de R$ 3 mil para comprar um material referente ao despacho e a quantia foi depositada pela vítima. Como sua tenda fica localizada em São Paulo, todas as negociações eram feitas via ligação e mensagens.

Evitar acidente de trânsito

A vítima conta ainda no Boletim de Ocorrência que a taróloga ligou pedindo a quantia de R$ 27 mil para evitar um trabalho feito para que ela e o marido sofressem um acidente de carro. No dia seguinte, com medo do que poderia acontecer, V.M.R.V transferiu R$ 1.400 para Lívia.

R$ 117 mil

Não satisfeita com a quantia já depositada, a taróloga fez uma série de ligações extorquindo a vítima, inclusive mandando mensagens com teor ameaçador. Segundo o Boletim de Ocorrência, a vítima teria recebido mensagens com imagens de cemitério.

Dizendo estar incorporada de uma entidade intitulada “avó”, a taróloga pediu sigilo sobre as ligações e pediu mais dinheiro à vítima. Amedrontada com a situação, V.M.R.V empenhou joias, fez empréstimos e realizou mais depósitos à golpista, que passou a exigir R$ 77 mil para manter a vítima viva.

Diante de tantos empréstimos, tendo o último negado pelo banco, o gerente bancário entrou em contato com a mulher, que então decidiu contar que estava sendo vítima de um golpe. O gerente, então, contatou os irmãos da vítima, que são policiais e pediram que ela registrasse um Boletim de Ocorrência.

Ao total, V.M.R.V, realizou vários depósitos totalizando o valor de R$ 117.400,00.

Outro lado

A taróloga não foi localizada pelo GP1.