Mundo

Temer descarta venda do controle da Embraer pela americana Boeing

A informação de possível fusão foi publicada no jornal norte-americano "The Wall Street Journal".

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

O presidente Michel Temer foi pego de surpresa na tarde desta quinta (21) ao saber da intenção da Boeing de associar-se à Embraer. Temer disse aprovar qualquer negociação, exceto que esteja em jogo o controle acionário da Embraer.

“No meu governo a Embraer jamais será vendida”, afirmou o presidente em reunião com Raul Jungmann, ministro da Defesa e o comandante da Força Aérea, brigadeiro Novaldo Rossato.

O Planalto tem o poder de vetar a venda da empresa e isso se deve a uma “golden share”, mecanismo que lhe permite voz em qualquer decisão estratégica da empresa. A Embraer foi criada como estatal em 1969 e foi privatizada em 1994. Com a privatização, a empresa saiu de quase falência para a terceira maior empresa fabricante de aviões do mundo.

  • Foto: Divulgação/EmbraerBoeing negocia compra da Embraer, diz jornal norte-americano Boeing negocia compra da Embraer, diz jornal norte-americano

Notícia da Fusão

A publicação norte-americana “The Wall Street Journal” relatou nesta quinta (21) que a empresa Boeing está em negociação para comprar a rival brasileira Embraer. O jornal disse ainda que a Embraer ganharia um ágio substancial além dos US$ 3,7 bilhões de valor de mercado.

O jornal informou que as empresas estavam apenas aguardando a palavra do governo brasileiro, que tem poder de vetar a possível venda. As ações da Embraer subiram 26%, para US$ 24,44. A Boeing, no entanto, caiu menos de 1% para US$ 297,13.

Na bolsa de valores brasileira, as ações da Embraer subiram 2,54% às 15h14, cotadas a R$ 16,91. Em 2016 a brasileira teve receita líquida de R$ 21,436 bilhões.

Mais conteúdo sobre: