Santa Rosa do Piauí - PI

Vereadora Patrícia Oliveira é suspeita de receber auxílio emergencial

Procurada, nessa segunda-feira (10), a vereadora Patrícia Oliveira negou a acusação e afirmou que o assunto tem motivação política.

Brunno Suênio
Teresina
Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

A vereadora do município de Santa Rosa do Piauí, Patrícia Oliveira, (Progressistas), foi denunciada ao Ministério Público Federal, sob acusação de ter sacado o auxílio emergencial do Governo Federal em nome de outra pessoa, identificada como Gilberto Pereira de Sousa.

No último dia 03 de agosto, Gilberto Pereira procurou os profissionais do Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) do município de Santa Rosa do Piauí, relatando que havia solicitado o auxílio emergencial no mês de abril, no entanto, ainda não havia recebido nenhuma parcela.

  • Foto: Reprodução/WhatsAppDenúncia assinada pelo beneficiárioDenúncia assinada pelo beneficiário

Ao ser indagado sobre quais procedimentos ele realizou para que pudesse receber o auxílio, o Gilberto afirmou ter entregue seus dados para a vereadora Patrícia Oliveira, por meio de uma terceira pessoa, a fim de que tivesse acesso ao benefício.

Ao buscar informações sobre a situação do cadastro de Gilberto Pereira de Sousa, a equipe do CRAS identificou três saques na conta digital da vítima, inclusive, com pagamentos de boletos utilizando-se do auxílio emergencial.

No extrato, constam as datas de recebimento dos valores (30/04, 22/05 e 01/07) e os débitos a seguir:

  • Foto: Reprodução/WhatsAppExtrato da conta digitalExtrato da conta digital

Outro lado

Procurada, nessa segunda-feira (10), a vereadora Patrícia Oliveira negou a acusação e afirmou que o assunto tem motivação política. Ela relatou que ajudou Gilberto a se cadastrar para receber o auxílio, mas negou que ele tenha sido lesado. “A conta digital dele quem fez fui eu, tudo com o consentimento dele, fui eu quem fiz e tudo foi repassado para ele. Como eu mudei de celular, eu não tive mais acesso [à conta]. Ele, então, procurou o Cras para cadastrar uma conta dele para não ter mais dificuldade, fui eu quem o instrui a procurar o Cras, ele não foi lesado, recebeu o dinheiro. Tudo é campanha eleitoral”, garantiu.

A vereadora contou ainda que, nesta segunda, foi juntamente com Gilberto até a agência da Caixa Econômica Federal. “Acabamos de sair da Caixa com seu Gilberto, nós estamos preparando ofício onde seu Gilberto nunca adentrou na Caixa para fazer nenhuma representação contra minha pessoa e o gerente disse que não constava representação nenhuma contra mim e outra, esse tipo de informação só se dá ao titular da conta”, disse.

“Vamos entrar com ação contra a Caixa para saber qual foi o funcionário que fez isso, mas tudo isso é campanha eleitoral, não teve nada disso, vamos também na delegacia fazer o B.O. contra o Cras”, ressaltou Patrícia.

Em relação à denúncia protocolada no Ministério Público Federal, a vereadora afirmou que o documento apresentado é falso. “Fizeram denúncia no MPF com documento fraudado, porque é o tipo de documento que a Caixa dá só com autorização do cliente, no caso seu Gilberto. Ele recebeu as parcelas de R$ 600,00 e o Caixa Tem dele era no meu celular, porque ele precisava, mas nunca fui na casa dele pegar documento”, finalizou.

Ao GP1, Gilberto disse apenas que não denunciou a vereadora e que recebeu as três parcelas do benefício.

Mais conteúdo sobre: