Política

Vereadores de Picos trocam farpas durante sessão da Câmara

Carlos Luís Nunes de Barros (PSDB) e José Luís de Carvalho (PTB) trocaram ofensas na última sessão da Câmara de Picos.

José Maria Barros
Picos
- atualizado

Representantes do legislativo eleitos pelo povo, os vereadores Carlos Luís Nunes de Barros (PSDB) e José Luís de Carvalho (PTB) esqueceram o decoro parlamentar e trocaram farpas durante a última sessão da Câmara Municipal de Picos, realizada quinta-feira passada, 14 de novembro.

O bate-boca e a troca de ofensas, inclusive pessoais, entre os dois parlamentares chamou a atenção dos colegas presentes ao plenário e, atiçou a plateia que lotava parcialmente as galerias da casa. O constrangimento era geral entre os presentes e também junto aqueles que acompanham às sessões através do rádio.

Bate-boca

Tudo começou quando o vereador Carlos Luís (PSDB) fez críticas à postura do colega José Luís de Carvalho quanto a seu relacionamento com o PTB, após deixar a oposição e se bandear para a situação. No momento, o petebista não estava em plenário, mas assistindo ao pronunciamento do colega pelo rádio.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Vereadores batem boca em plenárioVereadores batem boca em plenário

Referindo-se ao posicionamento de José Luís com as lideranças do PTB, Carlos Luís alfinetou: “Os ex-chefes dele disseram que é tudo mentira! Não sei se na igreja dele, que não conheço muito, mas deveria procurar o pastor e ficar uns dois ou três anos de joelhos se arrependendo das mentiras que disse aqui” – sugeriu o tucano.

Ao usar a tribuna o vereador José Luís partiu para o ataque e o clima de tensão aumentou ainda mais. O parlamentar lembrou que já teve embates no plenário da Câmara de Picos, mas sempre dento do que prevê o Regimento Interno da Casa.

“Hoje a tarde estava ouvindo um vereador, que tenho todo o respeito, atacou a minha honra. Minha filha foi tratada por esse colega com deboche. Sem motivo algum tive a minha honra atacada por esse colega. Por isso, estou fazendo um requerimento nesse momento, pedindo ao Conselho de Ética que possa fazer uma apuração de tudo o que ele disse” – anunciou José Luís sem citar o nome de Carlos Luís.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Vereadores esquecem decoro e trocam ofensas durante sessão da CâmaraVereadores esquecem decoro e trocam ofensas durante sessão da Câmara

Bafômetro

Insinuando que o colega se encontrava bêbado, José Luís foi mais além e anunciou que estava solicitando ao presidente da Câmara a aquisição de um bafômetro, para fazer o teste [etílico] com cada um dos vereadores antes de eles entrarem no plenário para as sessões.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Vereador José Luís pede instalação de bafômetro na Câmara de PicosVereador José Luís pede instalação de bafômetro na Câmara de Picos

Como já havia se pronunciado na tribuna, Carlos Luís pediu uma questão de ordem e contra-atacou dizendo que o vereador José Luís, que é evangélico, acendia uma vela para Deus e outra para o Diabo, pois, ao mesmo tempo em que pede apoio para o PTB ele diz que já está em outro partido.

“Ele fala muito alto, mas eu falo mais alto do que ele. Eu posso falar que o vereador José Luís se vendeu para o prefeito para colocar a filha dela na Secretaria [do Meio Ambiente]. Eu tenho toda a coragem do mundo para falar e falo! Honra eu tenho, determinação maior ainda do que a sua. Compromisso com o povo de Picos não se compara com você e com ninguém”, garantiu Carlos Luís.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Tucano acusa vereador José Luís de se vender ao prefeito por uma secretariaTucano acusa vereador José Luís de se vender ao prefeito por uma secretaria

Os dois colegas continuaram se atacando mutuamente, até que o vereador Afonso Guimarães, o Afonsinho (PP), que presidia a sessão, cortou a palavra dos dois e encerrou a discussão.

Falta de decoro

Na Câmara Federal, dentre as ações consideradas falta de decoro parlamente estão receber vantagens indevidas em proveito próprio ou de outra pessoa, no exercício da atividade parlamentar ou então fazer acordo para a posse do suplente, condicionando-a a pagamento em dinheiro ou à prática de atos contrários aos deveres éticos ou regimentais.

Também é considerada falta de decoro perturbar a ordem das sessões da Câmara ou das reuniões de comissão; praticar atos que infrinjam as regras de boa conduta nas dependências da Casa e praticar ofensas físicas ou morais nas dependências da Câmara ou desacatar, por atos ou palavras, outro parlamentar, a Mesa ou comissão, ou os respectivos presidentes.

Etilômetro

O etilômetro ou alcoolímetro, também conhecido pelos nomes populares bafômetro ou balão, é o aparelho que mede a concentração de álcool etílico na corrente sanguínea de uma pessoa mediante análise do ar pulmonar profundo. Sua principal aplicação é identificar condutores de veículos que estejam sob efeito de bebidas alcoólicas.