GP1

Elesbão Veloso - Piauí

Promotora quer que Fábio Abreu construa nova delegacia

A promotora afirma na recomendação que essa delegacia já passou por problemas e foi interditada após incêndio registrado no ano de 2015, que danificou a sua estrutura.

O Ministério Público, por meio da promotora Francisca Reis, expediu recomendação ao secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu (PTB), determinando que ele resolva os problemas relacionados às péssimas condições da Delegacia da Polícia Civil de Elesbão Veloso, para a construção de uma nova sede ou realização de uma reforma.

A promotora afirma na recomendação que essa delegacia já passou por problemas e foi interditada após incêndio registrado no ano de 2015, que danificou a sua estrutura. A delegacia é responsável por atender os municípios de Elesbão Veloso, Francinópolis, Várzea Grande, Tanque do Piauí e Barra de Alcântara.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Secretário de Segurança, Fábio AbreuSecretário de Segurança, Fábio Abreu

Francisca Reis explica a necessidade melhorias no local devido “a precariedade do imóvel improvisado para atendimento da população, no que concerne ao fazimento de Boletins de Ocorrência, e andamento dos procedimentos policiais que lá tramitam” e que existe “a necessidade de recomendar ao Secretário de Segurança Pública do Estado do Piauí, a adoção de providências relativas às irregularidades encontradas, tendo em vista a suposta inércia na tomada de ações para construir um novo prédio (compromisso propagado na imprensa) ou reformar o anterior”.

A promotora ainda determina que o secretário Fábio Abreu apresente as providências já adotadas ou que deve adotar para construir uma nova sede para a delegacia de polícia de Elesbão Veloso ou para reformar o prédio que se encontra interditado. Devendo encaminhar os projetos já aprovados ou autorizações orçamentárias pertinentes, esclarecendo os prazos para execução.

“O Ministério Público aguarda o atendimento da Recomendação devendo V.Exa dizer sobre o acatamento desta, no prazo mencionado, sob pena de ajuizamento das ações cabíveis”, explicou a promotora Francisca Reis na recomendação do dia 7 de dezembro e publicada no Diário Oficial do Tribunal de Justiça desta terça-feira (10).

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.