Fechar
GP1

Teresina - Piauí

Merlong Solano descarta debandada na base de Wellington Dias

“Não acredito em debandada em razão da força política que tem o nosso Governo", afirmou o secretário.

As principais lideranças do Governo Wellington Dias (PT) descartam uma debandada na base aliada em virtude das divergências provocadas pela formação da chapa majoritária, que será encabeçada pelo petista. A principal alegação se ampara na habilidade do chefe do Palácio de Karnak em dialogar e contornar eventuais descontentamentos com os aliados.

Essa mesma opinião é compartilhada pelo secretário de Governo do Piauí, Merlong Solano (PT), que ressaltou o prestígio do governador perante a sociedade e as forças políticas do Estado.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Secretário de Governo, Merlong SolanoSecretário de Governo, Merlong Solano

“Não acredito em debandada em razão da força política que tem o nosso Governo. Debandada se coloca no momento em que as coisas, tanto do ponto de vista social, quanto econômico e político, estão desandando. E não é isso que vemos no Piauí. Vemos um governador de muito prestígio perante a população, com respaldo perante as forças políticas. Isso não caracteriza quadro de debandada. Dificuldade sim, mas ele tem habilidade para contornar isso”, disse Solano.

Embora não tenha iniciado as conversas oficialmente, Wellington Dias já tem tido muito trabalho com os aliados que pretendem conquistar uma vaga na chapa majoritária. Alguns já deixaram bem claro que discordam da ideia de um só partido ser contemplado com mais de dois espaços no grupo. Recado direto a progressistas e petistas que, atualmente, ocupam os cargos de governador (Wellington Dias), vice (a progressista Margarete Coelho) e senadores (com o progressista Ciro Nogueira e a petista Regina Sousa).


Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.