GP1

Altos - Piauí

Homem é acusado de estuprar, torturar e tentar matar esposa em Altos

O suspeito chegou a ser preso, mas foi liberado em audiência de custódia.

A Polícia Civil do Estado do Piauí abriu nesta quinta-feira (19) um inquérito policial para investigar um homem, de nome não revelado, acusado dos crimes de estupro, tortura e tentativa de feminicídio contra sua esposa no município de Altos. Os crimes ocorreram entre os dias 13 e 15 de dezembro.

Em entrevista ao GP1, o titular da Polícia Civil de Altos, delegado Tomaz de Aquino, detalhou que inicialmente tomou conhecimento do caso após ser feita a prisão em flagrante do acusado. Em seguida, as acusações foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia do município e a partir desse ponto, um inquérito policial deverá ser feito em 30 dias.

“Nós tomamos conhecimento depois que foi feito um flagrante na Central de Gênero. O fato aconteceu no domingo, depois chegou até aqui e começamos as investigações. Agora temos 30 dias para fazer o inquérito”, informou o titular da Polícia Civil de Altos.

Justiça mandou soltar

Ainda conforme o delegado Tomaz de Aquino, após ser realizada a prisão em flagrante, o suspeito passou por audiência no dia seguinte e teve a liberdade provisória concedida com medidas cautelares, como se afastar da vítima, não manter contato com ela, não sair na parte da noite de sua residência e não poder deixar a cidade de Altos.

“O acusado foi autuado e após passar por audiência o juiz liberou ele após determinar medidas cautelares como se afastar da vítima, não manter contato, não poder sair de casa”, acrescentou o delegado.

Vídeos e fotografias

Entre as acusações, está também envolvido o crime de tortura e também a suspeita de que as situações devam ter sido gravadas pelo acusado. “Então estamos aprofundando as investigações, testemunhas, analisar se teve elementos como vídeos, fotografias, para fazer o material provatório, pois também está envolvido o crime de tortura”, ressaltou.

A conclusão do inquérito para investigar o caso tem o prazo de 30 dias e caso sejam constatadas as acusações, o suspeito deve ser preso de forma preventiva.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.