GP1

Polícia

Suspeito é preso em Teresina com material usado em assaltos a bancos

Segundo o proprietário de um dos carros roubados, o acusado abordou ele e sua noiva no bairro Mocambinho e questionando a todo tempo se a vítima seria policial, pois se caso fosse, seria mort

Marcelo Cardoso/GP1 1 / 11 Objetos apreendidos pela DEPRE Objetos apreendidos pela DEPRE
Marcelo Cardoso/GP1 2 / 11 Objetos encontrados no interior do veículo Objetos encontrados no interior do veículo
Marcelo Cardoso/GP1 3 / 11 Veículo roubado pelo acusado Veículo roubado pelo acusado
Marcelo Cardoso/GP1 4 / 11 Carro que estava em posse do homem Carro que estava em posse do homem
Marcelo Cardoso/GP1 5 / 11 Placas de veículos Placas de veículos
Marcelo Cardoso/GP1 6 / 11 Colete Colete
Marcelo Cardoso/GP1 7 / 11 Todo o material encontrado com o acusado Todo o material encontrado com o acusado
Marcelo Cardoso/GP1 8 / 11 Hilton Barbosa Hilton Barbosa
Marcelo Cardoso/GP1 9 / 11 Materiais localizados no veículo Materiais localizados no veículo
Marcelo Cardoso/GP1 10 / 11 Luvas usadas pelo homem Luvas usadas pelo homem
Marcelo Cardoso/GP1 11 / 11 Tênis encontrados no carro Tênis encontrados no carro

Um homem de iniciais L. de A. S foi preso pela Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública nesta quinta-feira (15), depois de ter sido flagrado em posse de um veículo que havia sido roubado na noite de ontem no bairro Mocambinho, zona norte de Teresina. Durante as diligências, uma equipe do GRECO deu apoio a Força Tarefa e acabou localizando vários materiais utilizados em roubo a instituições bancárias, que estavam armazenados em uma residência no bairro Alto da Ressurreição, na zona sudeste da Capital.

Em entrevista ao GP1, o subcomandante da Força Tarefa, Hilton Barbosa, informou que os policiais se depararam com o homem em um veículo modelo Kia Cerato, de cor branca, que havia sido roubado ontem. O suspeito estava abastecendo em posto de combustíveis localizado na Avenida dos Ipês, quando foi abordado pelos policiais. “Tomamos conhecimento de um assalto na noite de ontem na região do Mocambinho e agora à tarde, em patrulhamento pela zona leste, nos deparamos com esse veículo. Dentro do carro roubado tinha um indivíduo com uma mulher e uma criança”, pontuou.

Em troca de informações com o GRECO, o suspeito acabou declinando um endereço no Alto da Ressurreição, onde foram localizados um veículo roubado, modelo Toyota Yaris, além de vários materiais utilizados em assalto a bancos.

“Esse homem é suspeito de fazer parte de uma quadrilha de roubo a banco, porque ele indicou a casa onde esse material usado em roubos a instituições financeiras estava guardado. Dentro do segundo carro apreendido, foram encontrados ‘miguelitos’, coletes a prova de bala, ferramentas e diversas placas de carros falsificadas”, pontuou Hilton Barbosa.

Vítima relatou momentos de tensão

O proprietário do veículo Kia Cerato, primeiro carro recuperado pela Força Tarefa, relatou ao GP1 que o roubo do veículo ocorreu quando ele chegava em casa com sua noiva.

“Eu estava com a minha noiva, a gente estava voltando de umas compras e paramos na porta de casa. Ele [o assaltante] já parou com o outro carro na minha frente, foi nos abordando com a arma, me mandando sair e colocar a mão da cabeça. Disse que não era para eu reagir, perguntou o tempo todo se eu era policial, pois se seu fosse não era para reagir, se não ele iria me passar ali mesmo. Depois minha noiva pediu para sair do carro, porque ela ficou com medo de eles levarem o carro com ela dentro. O assaltante perguntou onde estava o celular dela, tirou nossas alianças, entrou no carro e foi embora”, informou.

Investigações

Durante entrevista coletiva, o delegado do GRECO, Gustavo Jung, informou que as investigações vão apontar quem é o responsável pelo material apreendido na tarde desta quinta-feira (15) bem como indicar se o suspeito tem alguma relação com os assaltos a bancos. “Estamos apurando quem seria os donos desses materiais. Entre esses itens, tinham vestimentas para serem utilizadas em diversos crimes. Esses veículos roubados foram provavelmente utilizados em outros delitos. Esse grupo tem um poder de fogo forte”, finalizou.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.