Fechar
GP1

Teresina - Piauí

Família avalia transferir filho mais velho da médica Laysa Lira para São Paulo

O adolescente apresentou sintomas semelhantes ao da mãe e do irmão mais novo, que morreram.

A família da médica pediatra Laysa Lira, que morreu com suspeita de dengue hemorrágica 13 dias após a morte do filho mais novo, Rafael Lira Martins, de 5 anos, está avaliando a transferência do outro filho da médica, Gabriel Lira Matias, de 13 anos, para São Paulo.

O GP1 apurou que Gabriel também está internado no Hospital Unimed, em Teresina, com sintomas semelhantes ao da mãe. Laysa Lira foi admitida na unidade hospitalar no último sábado, dia 18 de maio, sentindo fortes dores abdominais. Apesar dos esforços da equipe médica, a pediatra sofreu uma parada cardiorrespiratória e faleceu na manhã de segunda-feira (20).

Foto: Reprodução/InstagramMédica Laysa Lira e seu filho mais velho, Gabriel Lira Martins
Médica Laysa Lira e seu filho mais velho, Gabriel Lira Martins

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) confirmou a morte e afirmou que o caso está sendo investigado como suspeita de dengue.


Morte do filho mais novo

O filho mais novo de Laysa, Rafael Lira Matias, de apenas 5 anos, morreu por dengue no dia 7 de maio e foi a primeira morte pela doença registrada este ano em Teresina. Ele foi internado às 17h do dia 7 de maio e, três horas depois, sua morte foi confirmada às 20h.

Quando Rafael morreu, já havia a suspeita de dengue. Foram iniciados os procedimentos para confirmação do caso, seguindo todas as diretrizes da Diretoria de Vigilância Sanitária (DVS) da FMS. A amostra de sangue da criança foi encaminhada ao Laboratório Central (Lacen) para análise. Após a análise, a FMS conseguiu confirmar o diagnóstico de dengue.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.