Fechar
GP1

Teresina - Piauí

Cidadania retira apoio a pré-candidatura de João Vicente Claudino

O anúncio do rompimento foi feito pelo jornalista Mário Rogério, presidente do Cidadania no Piauí.

O jornalista Mário Rogério, presidente do Cidadania, anunciou que o partido não vai mais apoiar o nome de João Vicente Claudino (PSDB) por não acreditar que o ex-senador irá manter a pré-candidatura a prefeito de Teresina. Em entrevista ao GP1 nesta quarta-feira (29), Mário Rogério teceu elogios a capacidade política/empresarial de JVC e afirmou que o ex-senador seria o único nome com potencial para quebrar a polarização entre o médico Sílvio Mendes (União Brasil) e o deputado estadual Fábio Novo (PT), que concorrem ao comando do Palácio da Cidade.

Segundo Mário Rogério, ele chegou a comunicar a JVC que o Cidadania estava incomodado com o ritmo de pré-campanha, mas, de acordo com ele, não houve uma resposta satisfatória da parte do empresário.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Mário Rogerio
Mário Rogerio

“Acho que João Vicente seria o único nome capaz de quebrar essa polarização entre Sílvio e Fábio, mas os pré-candidatos do Cidadania não acreditam que ele será candidato. Antes dessa decisão, nosso partido se reuniu e, de forma unânime, tomou deliberou dessa forma. O que queremos é ter resguardado o direito de nossos pré-candidatos disputaram na chapa da federação e, claro, vamos buscar uma alternativa de pré-candidato a prefeito”, declarou o jornalista.


Mário Rogério falou ainda que havia comunicado a insatisfação a JVC. “Como uma pessoa se diz pré-candidato e não tem ato de pré-campanha, não tem um escritório montado, enfim. Externamos tudo isso ao João Vicente, mas ele nos disse que eu teria liberdade para adotar a melhor escolha. Agora os pré-candidatos a vereador do Cidadania vão se reunir novamente para decidir qual será a definição [majoritária]”, finalizou.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.