Fechar
GP1

Teresina - Piauí

Retorno das elites à prefeitura seria um retrocesso, diz Telsírio Alencar

"Se não der um freio nessa situação, os reflexos serão mais dolorosos”, alertou o pré-candidato.

Segundo o advogado e jornalista Telsírio Alencar, pré-candidato à Prefeitura de Teresina pelo Mobiliza, ao longo de sua história a capital tem negligenciado a adoção de políticas públicas para reduzir as desigualdades sociais que ainda perduram. “A semente plantada pelos senhores do atraso já vem frutificando a várias décadas. Se não der um freio nessa situação, os reflexos serão mais dolorosos”, alertou o pré-candidato.

Telsírio destacou que as elites políticas que mandaram em Teresina são as responsáveis pelo descontrole social existente na cidade. Ele ainda narrou que a violência instalada na capital, além de tantos outros problemas vigentes, é de inteira responsabilidades daqueles que governaram de costas viradas para a população. “O povo de Teresina é sábio e não vai permitir que o retrocesso aconteça na eleição de outubro”, alertou Alencar.

Foto: Divulgação/ AscomTelsírio Alencar
Telsírio Alencar

Alencar discorreu ainda, que a situação em que chegou só foi possível, devido à ausência dessas figuras públicas que ignoravam as comunidades e defendiam apenas seus interesses, criando um processo de angústia e revolta na cidade. “Transformaram nossa cidade verde numa selva de desigualdades sociais”, criticou o pré-candidato do Mobiliza.

“A violência que está aí é social. Precisamos resolver o assunto, diferenciando os marginalizados do processo dos poucos que agem na contra mão da lei. A juventude, principalmente a periférica é vítima de um sistema político perverso que ignorou ao longo do tempo a todos”, pontuou Telsírio Alencar.


Para o jornalista que reside em Teresina há mais de quarenta anos, os gestores que passaram pela PMT, nunca se preocuparam em adotar medidas que melhorasse a vida dos que moram nos bairros e vilas de Teresina. Para Alencar faltou responsabilidade administrativa para evitar toda essa problemática que estar posta em nossa capital.

“Essa violência toda que está presente pela cidade, são reflexos da ausência de políticas públicas desse oligárquicos que mandaram e desmandaram cerca de 40 anos em nossa capital”. Segundo o jurista ninguém vai conseguir resolver o problema se não chamar o feito a ordem. “A presença do aparelho de segurança pública, guarda municipal, tudo isso, é importante, mas não resolve se não tiver uma ação social forte. O problema é social e não apenas caso de polícia”, declarou Telsírio Alencar.

O pré-cadidato disse que a falta de sensibilidade e visão desse grupo gerou problema em todos os setores da cidade. Ele explicou que os problemas na saúde pública por exemplo, fazem parte dessa gestão pública que Teresina.

Na visão do causídico, já está se vivendo uma verdadeira convulsão social. Para ele, é necessário a presença de todos nesse projeto de combate a esses conflitos sociais em Teresina. “Temos que levar para comunidades soluções que no mínimo se devolva a esperança de vida e paz social para nossa gente”, comentou o pré-candidato do Mobiliza.

Telsírio informou à nossa reportagem que essa pasta da desigualdade social de Teresina, será de grande importância para ajudar a diminuir essas desigualdades que durante décadas foi implantada pela ação da ignorância dos que governaram a cidade.

“A proposta é envolver os poderes, o estado, a união, a iniciativa privada e a sociedade civil organizada para adotar políticas públicas”, alertou Telsírio Alencar.

Alencar informou ainda que a pasta será integrada com todos os órgãos de sua gestão. “Políticas públicas é tarefa coletiva. Essa pasta terá a participação direta das comunidades na solução urgente desses conflitos sociais que atingem e afligem principalmente, nossos jovens”, finalizou Telsírio.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.