GP1

Piauí

Reitor Gildásio Guedes quer reformar residência universitária

A residência do campus Petrônio Portella está desativada desde 2014 e conta com espaço para abrigar até 64 moradores.

O reitor da Universidade Federal do Piauí (UFPI), professor Gildásio Guedes, visitou na última quarta-feira (20), a Residência Universitária 1 do Campus Petrônio Portella, em Teresina, que está desativada há cerca de 6 anos. A proposta é que a residência seja recuperada e entregue aos alunos do campus.

A residência, que é a primeira do campus da UFPI em Teresina, foi está desativada desde 2014. Ao GP1, o reitor afirmou que a visita teve como objetivo estudar uma maneira de revitalizar o prédio, que poderá ser utilizado para abrigar alunos da universidade.

Foto: Divulgação/UFPIResidência Universitária da UFPI
Residência Universitária da UFPI

“Nós estamos com essa intenção de recuperar o prédio, porque lá é um prédio bonito, um prédio histórico dentro da universidade, é a primeira residência universitária aqui no campus. O objetivo é recuperar para ter uma utilização de forma eficiente”, explicou o reitor.

Segundo o reitor, a parceria para essa revitalização será firmada junto à Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (PRAEC), e nesse primeiro momento a universidade busca recursos para colocar o projeto em prática. “Vamos buscar ajuda para recuperar, depois de recuperado vamos ver como fazer a ocupação”, disse.

A residência tem capacidade para abrigar 64 moradores e conta com 16 alojamentos, banheiros, áreas de convivência, lavanderia e espaço para refeições.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.