Fechar
GP1

Piauí

Piauí registra aumento de 48,8% no número de homicídios de mulheres negras

Esse índice parte de uma análise feita pelo Atlas da Violência, correspondente a última década.

O Piauí foi o segundo estado que apresentou o maior aumento no número de homicídio de mulheres negras, segundo o Atlas da Violência divulgado na última terça-feira (18). Esse índice parte da análise da última década, de 2012 a 2022, em que foi registrado um aumento de 48,4% no assassinato de mulheres negras.

Com esse número, o Piauí está atrás apenas do Ceará. Dessa forma, o ranking dos estados que apresentaram maior crescimento na taxa é formado pelo: Ceará, com 100%; Piauí, 48,8%; Roraima, 31,8%; Rio Grande do Norte, 16,3%; Maranhão, 11,4%; Rondônia 10,3%; Mato Grosso 7,8% e Rio Grande do Sul, 2,3%.

Foto: Davi Fernandes/GP1Violência contra mulher
Violência contra mulher

Esse levantamento não usa o termo feminicídio, pois os dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) não diferenciam um crime do outro. Por conta disso, o termo “homicídios de mulheres” abrange também o feminicídio.

Somente no ano de 2022, foram registradas 3.806 mortes de pessoas do sexo feminino, o que equivale a uma taxa de 3,5 homicídios por 100 mil habitantes. Conforme o registro de óbitos, 34,5% dos homicídios de mulheres acontecem dentro de casa, o que corresponde a um total de 1.313 mulheres assassinadas em domicílios.


As mulheres negras representam 66,4% das vítimas de homicídios femininos, totalizando 2.526 assassinatos em 2022. Ou seja, uma taxa de 4,2 mulheres negras mortas por 100 mil habitantes.

Na região Nordeste, essa estatística fica ainda mais assustadora, pois é onde as chances de uma mulher negra ser assassinada é duas vezes maior do que o de uma mulher não negra.

Denuncie

O Ligue 180 é um canal disponibilizado à população para receber denúncias de violações contra as mulheres. Nele, a denúncia é registrada e encaminhada aos órgãos competentes. Nesse mesmo canal também é encontrado algumas informações sobre os direitos da mulher e locais de atendimento mais próximo.

A ligação é gratuita e funciona 24h, todos os dias da semana.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.