GP1

Polícia

Mentor da fraude no concurso dos bombeiros se entrega em Teresina

O delegado Kleydson Ferreira, do Greco, informou que o acusado usou o direito de só se manifestar perante o juiz. 

O principal membro da fraude do Concurso de Corpo de Bombeiros do Piauí, Cristian Alcântara Santiago, de 40 anos, se entregou na manhã desta segunda-feira (16) no 7 ° Distrito Policial de Teresina, em seguida, foi encaminhado ao Grupo de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Greco), responsável pelo inquérito.

Cristian Alcântara Santiago é apontado como mentor do esquema de fraude do Concurso do Corpo de Bombeiros. De acordo com as provas encontradas pela polícia, Cristian teve acesso a prova e a vendeu para alguns candidatos. O histórico de chamadas de Cristian evidenciou contato telefônico frequente com vários dos candidatos aprovados no certame do Corpo de Bombeiros. Ele já havia sido preso suspeito de participar da fraude no concurso do Tribunal de Justiça.

O delegado Sebastião Neto, do 7º Distrito Policial informou que Cristian chegou ao local acompanhado do advogado, por que já havia um mandado de prisão contra ele. “Ele chegou à delegacia com um advogado, porque ele reside aqui na área do 7ºDP e então ele achou que por ter um mandado de prisão em aberto, poderia se dirigir a qualquer distrito, mas eu encaminhei imediatamente ao Greco, pois eles que estão investigando esse caso desde o início”, disse.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Chegada de presos no GrecoSede do Greco

Durante entrevista ao GP1 o delegado Kleydson Ferreira, do Greco, informou que o acusado usou o direito de só se manifestar perante o juiz.  “Ele se entregou hoje, mas ele se manteve em silêncio, ele só vai se manifestar em juízo. Ele se reservou no direito de ficar calado. Ainda tem cinco pessoas foragidas e que, inclusive, fazem parte da liderança. Ele era o cabeça, o principal organizador. Cristian já foi indiciado”, informou o delegado Kleydson Ferreira.

Conforme o delegado Kleydson Ferreira, os cincos foragidos são: Josué Brito Modesto (funcionário do Strans), Evelyn Mariane Oliveira Ferreira (funcionária da Eletrobras), Bruno Carvalho Miranda, Ítalo Cesar da Silva Damasceno (aluno do Corpo de Bombeiros) e Joselito Batista Alves (funcionário do TJ-Maranhão).

Confira como atuaram os suspeitos que ainda estão foragidos!

Josué Brito Modesto: era responsável por comercializar os gabaritos das provas. A investigação juntou provas de que Josué contato com candidatos aprovados até às vésperas do exame. Ele também já havia sido preso por frade no concurso do Tribunal de Justiça.  

Evelyn Mariane Oliveira Ferreira: Era aluna do curso de formação, além de beneficiária do esquema e responsável por vender os gabaritos e fazer as provas no lugar de outras candidatas.  Evelyn também já havia sido preso no dia do concurso do Tribunal de Justiça do Piauí.

Bruno Carvalho Miranda: apontado como também responsável por conseguir as provas dos concursos e repassá-las ao grupo criminoso.

Ítalo Cesar da Silva Damasceno: foi beneficiário do esquema e apresentou gabarito semelhante ao de outros quatro candidatos. Ficou comprovada a relação dele com Cristian.

Joselito Batista Alves: é funcionário do Tribunal de Justiça do Maranhão, foi preso durante a Operação Veritas acusado de participar da fraude do concurso do TJ-PI e participou ativamente da fraude no concurso do Corpo de Bombeiros.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.