GP1

Polícia

Piauí registra dois casos de feminicídio na última semana

A coordenadora do Núcleo de Feminicídio destacou a importância de abordar os casos como feminicídio e que não se deve mais utilizar o termo ‘crime passional’.

Duas mulheres foram assassinadas na última semana no interior do Piauí. A jovem Ana Maria de Sousa foi morta com um tiro na cabeça no município de Padre Marcos na última quinta-feira (21). O ex-namorado da moça e um adolescente foram os responsáveis pelo crime. Já em Inhuma, na sexta-feira (24), a Maria Antônia da Silva morreu alvejada com um tiro no estômago, após tentar proteger a filha, Eliane Silva, do ex-marido e autor dos disparos, Pedro da Silva Pereira. Os dois crimes serão enquadrados como feminicídio.

O GP1 entrevistou a coordenadora do Núcleo de Feminicídio da Polícia Civil do Piauí, Anamelka Cadena, que apresentou detalhes dos dois episódios. A delegada destacou a importância de abordar os casos como feminicídio e que não se deve mais utilizar o termo ‘crime passional’. “Refutamos esse termo [crime passional] porque a passionalidade está ligada a paixão, e quem sente paixão não vai fazer algo ruim contra a pessoa. Queremos desmistificar essa coisa de que passionalidade gera morte, até porque o júri usa muito essa terminologia para tentar sensibilizar o jurado”, declarou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Delegada Anamelka CadenaDelegada Anamelka Cadena

Sobre a morte de Ana Maria, a delegada contou que Edilton Leal, ex-namorado da vítima, cooptou o adolescente responsável pelos disparos de arma de fogo que mataram a jovem. “Ela havia rompido o relacionamento com esse rapaz e ele não satisfeito tentou reatar, marcou um encontro e ela foi, pois na sua cabeça estava tudo bem, pois tinha rompido numa boa”, informou. Edilton Leal e o garoto confessaram o crime e foram transferidos para a delegacia de Picos para que suas vidas fossem preservadas, devido à grande comoção em Padre Marcos.

Em relação ao assassinato de Maria Antônia, a coordenadora do Núcleo de Feminicídio explicou que o responsável pelo crime atirou com o objetivo de atingir a ex-companheira, que chegou a ser alvejada. “Ele estava efetuando disparos contra Eliane e a mãe entrou na frente e foi alvejada no abdômen. A ex-mulher, a quem ele realmente queria matar, foi alvejada no pescoço, no braço e no peito, mas nenhum ferimento foi grave”, afirmou.

Por fim, a delegada explicou que até mesmo mortes de homens podem ser enquadradas como casos de feminicídio. “Será tratado como feminicídio mesmo se um homem morrer, quando ele estiver em um cenário em que o autor do crime pretende matar a mulher”, pontuou.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.