GP1

Polícia

Professor é preso acusado de estuprar aluna de 14 anos em Teresina

As investigações apontaram ainda que um dos crimes foi praticado dentro da residência do professor.

Um professor identificado como Carlos Daniel Pinho Chacon foi preso pela Polícia Civil do Piauí, acusado de estuprar uma aluna de 14 anos de idade, no mês de outubro deste ano, em Teresina. Os policiais da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente deram cumprimento ao mandado de prisão temporária expedido nessa quinta-feira (18) em desfavor do acusado na cidade de Fortaleza-CE.

Em entrevista ao GP1, a delegada Lucivânia Vidal informou que o caso chegou até a DPCA na última terça-feira (16), através dos pais da adolescente, que denunciaram que a filha havia sido assediada em uma escola particular de Teresina, onde o professor atuava como coordenador de olimpíadas científicas. Depois de insistir, a vítima acabou cedendo às pressões e foi levada para o apartamento do acusado, onde houve o estupro.

Foto: Reprodução/FacebookProfessor Carlos Daniel Pinho Chacon
Professor Carlos Daniel Pinho Chacon

Com a tomada de depoimento da aluna e demais provas anexadas ao inquérito, a delegada Lucivânia representou pela prisão temporária e também por mandado de busca e apreensão no imóvel do professor, que foi localizado na cidade de Fortaleza, na tarde dessa quinta-feira.

“A denúncia foi feita através do pai da adolescente, que veio até a DPCA e registrou o fato na terça-feira, dia 16 de novembro. Nós agimos em conjunto a Polícia Civil do Piauí, com a Delegacia Geral, GPE e depois com a Polícia Civil do Ceará. O acusado era coordenador de olimpíadas e tinha essa relação com a aluna do colégio. O pai relatou que o professor pressionava a menina usando sua autoridade como professor. A adolescente, que na época tinha 14 anos, e agora tem 15 anos, terminou cedendo com a pressão psicológica que ele fazia em cima dela e depois ela levou o fato ao conhecimento do pai”, explicou.

Conforme a delegada, temendo a fuga do acusado, a Polícia Civil acionou o Poder Judiciário, que expediu os mandados em desfavor do acusado.

“Nós instauramos o inquérito e começamos as investigações. Descobrimos que ele já havia sido demitido do colégio que tomou conhecimento dos fatos. Com medo da fuga, de ele deixar Teresina, até porque ele é natural de Fortaleza, a gente representou pela prisão temporária e também busca e apreensão. Após buscas aqui em Teresina, descobrimos que ele não estava mais aqui, mas em Fortaleza. Com ajuda da Polícia Civil conseguimos lograr êxito em cumprir o mandado de prisão, que vale por 30 dias”, acrescentou.

Foto: Reprodução/FacebookCarlos Daniel Pinho Chacon
Carlos Daniel Pinho Chacon

A delegada Lucivânia Vidal afirmou que, ao tomar conhecimento da situação, a escola desligou o professor de suas atividades. Ela espera agora que outras pessoas que possam ter sido vítimas do professor procurem a Polícia Civil para denunciá-lo.

“Ele, agindo como superior, foi fazendo toda a pressão em cima de uma adolescente que fragilizada não pôde se defender e aquela pressão psicológica todo dia, não houve agressão física para que ela pudesse revidar mas a partir do momento que ele a convida para ir ao apartamento dele e ela vai, ele adquiriu a confiança da adolescente. Espero que surjam [outras denúncias], porque geralmente não é um único caso, quando a gente denúncia e principalmente quando o acusado é preso, é como se a vítima encontrasse uma força porque eles ameaçam, a vítima cria nela várias algemas, e a pior de ser quebrada é a algema psicológica, e quando o acusado é preso é ver uma liberdade e criar forças para denunciar”, finalizou.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.