GP1

Política

Presidente de Câmara se revolta com má administração e decide romper com prefeito de Caridade

Com o rompimento do presidente da Câmara, a oposição já soma hoje seis vereadores que fazem oposição à atual administração.

O grupo político de oposição ao governo municipal de Caridade do Piauí, liderado pelo empresário Antoniel de Sousa Silva, popularmente conhecido como Toninho de Caridade, recebeu um importante reforço na última terça-feira (18).
Imagem: ReproduçãoVereadores de Caridade(Imagem:Reprodução)Vereadores de Caridade
O presidente da Câmara Municipal, Leonardo de Araújo Bento (PTB) e o vereador Avilmar Leal (PMDB), que davam sustentação política ao prefeito José Lopes Filho, o Zezinho (PTB), anunciaram oficialmente o rompimento. Segundo os parlamentares, sensibilizados com a forma como vinha sendo tratada a população e com o descaso da atual administração.

Com a mudança, Toninho da Caridade, candidato a prefeito nas últimas eleições e líder do grupo de oposição, hoje já conta com o apoio de seis vereadores, sendo quatro eleitos por sua coligação em 2012, e outros dois que aderiram ao seu projeto na busca de melhorias para a população do município.
Imagem: ReproduçãoLideranças(Imagem:Reprodução)Lideranças
Em entrevista, o presidente da Câmara, Leonardo Bento, filho do ex-vereador Léo, homem de forte expressividade política no município, declarou ter passado para a oposição como forma de demonstrar sua indignação com a administração do atual gestor, que não dava nenhum apoio ao Poder Legislativo quando na busca de melhorias para a população do município.
Imagem: ReproduçãoPresidente da Câmara Leonardo Bento(Imagem:Reprodução)Presidente da Câmara Leonardo Bento

Outro lado

Em entrevista ao GP1, o prefeito de Caridade do Piauí, José Lopes, disse que as críticas dos adversários não têm fundamento e que vem realizando vários investimentos no município que passa por problemas financeiros devido a crise que atinge o Piauí e o Brasil.

Segundo o prefeito, os vereadores mudaram de lado não por falta de “má gestão” da sua parte e sim por interesses políticos. “Eles fizeram isso por outros interesses. Eles saíram sem consultar os eleitores deles e nem mesmo a família. As próprias famílias deles estão ainda do meu lado. Quero deixar claro que não existe má gestão. A questão é que o município passa por dificuldades. Quero que apontem mostrando que eu não tenho feito o possível. Nessa região de Picos sou um dos que mais tem buscado recursos”, disse.

Imagem: ReproduçãoClique para ampliarPrefeito de Caridade Zezinho(Imagem:Reprodução)Prefeito de Caridade Zezinho
O prefeito alegou a oposição na Câmara vem fazendo algumas irregularidades e citou um exemplo.

“Eles até se reuniram, por um interesse particular, para criar uma emenda na lei que fala sobre eleição para conselheiro. É uma emenda dando mais um mandato extra, de dois anos, para aqueles que foram eleitos. Eram dois anos, que terminava agora o mandato e então eles fizeram a emenda garantindo mais dois anos para cada conselheiro passar no total quatro anos. Essa lei é inconstitucional, porque ela é de iniciativa do poder executivo, não foi passada por uma comissão e foi promulgada e sancionada pelo próprio presidente. Só recebi um ofício avisando sobre isso. Eu agora vou questionar a inconstitucionalidade dessa emenda. Eles se uniram para fazer isso. Eles uniram a oposição para fazer isso. Falo isso, só para você ver a situação em que eles se encontram aqui”, disse.

O prefeito ainda relatou alguns investimentos que tem feito na cidade para negar as declarações dos vereadores.

“Estou terminando de concluir uma Unidade de Saúde, solicitei a compra de uma ambulância que ainda não recebi porque foi feita a chamada duas vezes e ninguém mostrou interesse, então vou fazer uma contratação direta. Iniciei obras de uma quadra no Assentamento Cabaceira, Sistema de Abastecimento de Água que já foi dado inicio, está em andamento obras de uma academia de saúde, estamos concluindo em parceria com o governo do estado 37 casas, e já entreguei 48. Estou com o projeto de construção de mais 50 casas. Estou construindo uma cozinha comunitária que está até atrasada porque tive um problema com a empresa responsável . Construção de 90% de pavimentação no povoado Cajazeira. Reforma também da barragem, construção do aterro sanitário, comprei caminhão compactado de lixo. Consegui um convênio junto com a Sudene de mais de R$ 900 mil, recursos para abastecimento de água e construção de ETAS. Então esses só são alguns dos investimentos que estou fazendo”, disse.

O prefeito comentou ainda a declaração do presidente da Câmara de que ele não apoiava o legislativo. “Eu não entendi essa declaração. Sempre dei o meu apoio. Sempre tive um bom relacionamento. Isso daí foi só uma questão política e partidária. Fazendo campanha política antes do tempo. Eu estou fazendo campanha da minha administração. Eu dou todo o apoio para a Câmara, como o repasse certo dos recursos para a Câmara. Agora solicitação particular e individual não é atendida não. Esse tipo de atendimento eu não faço.Eu acho que eles estão falando é disso. Porque veja bem, o que esses vereadores, estão dizendo aí não faz sentido.Eles nunca fizeram nenhum projeto. Então não podem cobrar que não foram atendidos. Aqui, com as faltas de recursos do governo federal, eu tive até que demitir os comissionados. Fiz alguns cortes para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Até isso quando foi decidido, foi com o apoio desses vereadores. A irmã do vereador é secretária da prefeitura e ela sabe das dificuldades, sabe o que passamos. Tudo que eles estão fazendo é só por uma questão política”, finalizou o prefeito.

Curta a página do GP1 no facebook: www.facebook.com/PortalGP1
Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.