GP1

Política

Robert Rios afirma que Dr. Pessoa não vai perseguir servidores

“Não passa pela cabeça de Dr. Pessoa nenhum tipo de perseguição aos servidores terceirizados, esses não precisam ter qualquer abalo, muito pelo contrário", disse Robert Rios.

O vice-prefeito eleito Robert Rios (PSB) afirmou em entrevista ao GP1, na manhã desta sexta-feira (04), que o prefeito eleito Dr. Pessoa (MDB) não vai perseguir servidores terceirizados quando assumir a Prefeitura de Teresina no próximo dia 1º de janeiro de 2021.

Para Robert Rios, Dr. Pessoa vai tomar decisões, avaliando caso a caso, a fim de garantir a qualidade da prestação dos serviços na administração pública e, para isso, vai querer contar com os trabalhadores que tocam a rotina da prefeitura, diariamente.

“Não passa pela cabeça de Dr. Pessoa nenhum tipo de perseguição aos servidores terceirizados, esses não precisam ter qualquer abalo, muito pelo contrário, os comissionados que estão lá há mais 20 anos, porque é uma administração antiga, também não precisam se desesperar”, ressaltou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Robert RiosRobert Rios

Em regra, o quadro de servidores de livre nomeação e exoneração é modificado, principalmente, quando há alternância de poder. Robert, no entanto, ressaltou que o prefeito eleito não vai agir com truculência com aquelas pessoas que estão à frente de cargos importantes na Prefeitura de Teresina.

“Mesmo com o decreto, de que no dia 31 todos serão exonerados pelo prefeito Firmino Filho, [os servidores] devem permanecer a postos, esperar que Dr. Pessoa assuma e tome decisões. Eu tenho certeza que vai ser pensado com o coração, não vamos usar de qualquer truculência contra os servidores”, finalizou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Dr. Pessoa deve iniciar anúncio de secretariado dia 25 deste mês

Dr. Pessoa deverá receber relatório da equipe de transição até dia 20

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.